Aviso de férias: 4 aspectos que você precisa saber!

25 de agosto de 2017
Kenoby

As férias são um período merecido de descanso, aguardado com ansiedade pelos trabalhadores. Mas, para a empresa, é importante que haja um planejamento prévio e se possa obedecer à legislação. Quais as obrigações de um aviso de férias?

Todas essas normas foram determinadas pelas leis trabalhistas, mas muitos profissionais ainda têm dúvidas sobre como proceder. Se esse é o seu caso, não se preocupe — esclarecemos neste artigo de maneira simples e rápida qual a rotina para que a liberação dos profissionais para as férias seja feita da maneira correta.

1. O que a CLT diz sobre o aviso de férias

A legislação determina que o funcionário seja avisado sobre suas férias 30 dias antes da data inicial do período, para que possa se planejar. Esse aviso é formal, realizado por um documento que deve ser assinado pelo empregado.

Além disso, o empregador deve documentar o período de descanso em livro de funcionários, mas microempresas e empresas de pequeno porte estão dispensadas dessa obrigação, de acordo com o art. 51 da Lei Complementar n.° 123/2006.

A carteira de trabalho deve ser entregue à empresa antes do período de férias para que os devidos registros sejam feitos também nesse documento. O funcionário não poderá entrar no período de gozo sem que a anotação na carteira seja feita.

2. Como fazer o aviso

O aviso deve conter informações para que haja a identificação correta dos envolvidos. Não podem ser ignorados: nome, CNPJ e endereço da empresa, nome completo, CPF e número da carteira de trabalho do funcionário.

Esse documento deve ser feito em duas vias, mencionando o intervalo de tempo do último ano de trabalho e os dias em que ficará afastado da empresa.

3. Como são realizados os pagamentos

O crédito do adiantamento do período de férias deve ser feito em até dois dias antes do período de fruição.

É importante destacar que trata-se de um adiantamento, então caso ocorra algum reajuste ou correção salarial o acerto efetivo das férias será feito na folha de pagamento, no dia normal de recebimento de salário do funcionário.

4. Como proceder em caso de demissão

Caso a empresa decida demitir o funcionário sem justa causa, isso não pode ser feito durante o período de férias, já que não há acontecimento relevante que justifique a dispensa do empregado durante esse intervalo.

Nesses casos, o empregador deve aguardar que a pessoa volte do período de descanso para fazer a demissão e os acertos necessários. A empresa pode optar entre fazer o desligamento imediato ou pedir o cumprimento do aviso prévio.

Não esqueça — além de todos os cuidados com a documentação  — de programar a empresa para as férias dos seus colaboradores. Verifique quem vai cobrir esse período: se as tarefas serão divididas entre o restante da equipe, se será contratado um profissional temporário ou se o trabalho será adiantado antes da saída de férias.

O aviso de férias também é uma oportunidade para o setor se planejar, não apenas o funcionário.

Este artigo ajudou você a esclarecer algumas dúvidas? Siga os nossos perfis no Facebook e no LinkedIn para ter mais informações sobre relações de trabalho e gestão de recrutamento!

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Aviso prévio: o que você precisa saber sobre o assunto?

As regras de aviso prévio são frequentemente aplicadas no cotidiano do setor de Recursos Humanos. Isso porque, querendo ou não, a demissão de funcionários faz parte da rotina do departamento.  continue lendo »

Artigo 473 da CLT: o que você precisa saber sobre as faltas justificadas

No contexto trabalhista, um dos assuntos que gera muita dúvida é o caso das faltas justificadas — regulamentadas pelo Artigo 473 da CLT. Isso acontece porque nem sempre os gestores  continue lendo »

Licença maternidade: tire todas as suas dúvidas aqui!

A licença maternidade é um direito legal que toda mulher possui, correspondente a um período de 120 a 180 dias remunerados. A licença garante a suspensão de seu contrato de  continue lendo »

Licença paternidade: conheça os direitos dos colaboradores da empresa

Conceder a licença paternidade, em tese, não deveria apresentar grandes dificuldades para o RH. Afinal, basta o conhecimento do prazo legal e do momento exato de seu início para que  continue lendo »

Adicional de periculosidade: você sabe o que é? Confira!

Você sabe quem tem direito a receber o adicional de periculosidade e como este valor deve ser calculado? No Brasil, há toda uma legislação regulamentando essa compensação devida aos trabalhadores  continue lendo »

Licença nojo: entenda o que é e quem tem direito a ela

A legislação trabalhista permite que o colaborador se ausente por alguns dias sem que o período seja descontado de seu salário. É o que acontece, por exemplo, em casos de  continue lendo »