Descubra 6 características da gestão por competências

24 de maio de 2019
Kenoby

Gerenciar pessoas na organização é um verdadeiro desafio. Os colaboradores têm suas qualidades e problemas, além de apresentarem conflitos entre si. Desenvolver uma estratégia que ajude a potencializar capacidades e direcionar as atitudes do time é fundamental para tornar os processos mais fáceis. Nesse contexto, a gestão por competências tem muito a oferecer para o negócio.

Preparamos este conteúdo especial com informações sobre as principais características desse segmento administrativo, destacando a sua importância e a forma como pode contribuir com a gestão de pessoas na empresa. Tem interesse em entender mais sobre o assunto? Então continue acompanhando este post!

O que é a gestão por competências?

Na administração, o termo competência envolve os conhecimentos, habilidades e atitudes no desempenho das atividades do negócio. Ou seja, isso envolve saber teórico, expertise para a prática e também a postura profissional diante da tarefa, o que inclui a disposição, proatividade e cooperação.

A gestão por competências tem a proposta de desenvolver mais eficiência operacional e estratégica. Basicamente, ela define de forma muito objetiva o que é necessário para concretizar o trabalho nas melhores condições e com o máximo de qualidade possível.

Os gestores mapeiam as características exigidas dos cargos para cada operação realizada na empresa, em uma sistematização detalhada dividida entre os setores da corporação. Em seguida, se investiga quais são os conhecimentos, habilidades e atitudes dos colaboradores. Com essas informações, o RH faz o cruzamento dos cargos e uma atribuição de tarefas mais coerente com as habilitações dos profissionais.

Nesse processo, é importante pensar que não há uma correspondência integral entre as capacitações do trabalhador e as demandas para a atividade. Essa lacuna é parte do processo e tem grande peso para o planejamento dos procedimentos de capacitação profissional. Assim, essa categoria gerencial também facilita o mapeamento de necessidades de treinamento e melhora a precisão dos programas de educação corporativa.

Antes de continuar, aproveite para baixar o nosso guia completo para a retenção de talentos!

Qual a importância da gestão por competências?

O gerenciamento por competências gera grandes impactos na cultura organizacional, estimulando a objetividade, o foco e aprimoramento contínuo. Ela acolhe a diversidade dos profissionais. Mas, juntamente, fornece as diretrizes adequadas para que o colaborador saiba quais são os pontos que precisam ser melhorados na performance dele.

Assim, a equipe fica mais bem orientada e motivada para o crescimento. Os feedbacks também são integrantes de sua rotina e se apresentam como verdadeiros investimentos nos colaboradores. Isso porque, quando você dá um retorno, é possível mostrar que acredita no potencial de aprendizagem e desenvolvimento do profissional. Dessa forma, a equipe fica mais engajada, produtiva e focada no aperfeiçoamento progressivo.

Quais são as principais características da gestão por competências?

Conhecer as principais características da gestão por aptidão é importante para entender o quanto esse sistema de coordenação pode contribuir com o negócio. Veja esses aspectos a seguir para entender melhor o tema!

1. Olhar estratégico

Um olhar estratégico dentro de uma corporação se caracteriza por ser baseado em uma análise de variáveis, ser estruturado para a criação de vantagem competitiva, envolver coerência e compatibilidade com os recursos disponíveis e ter um grau de risco premeditado.

Além disso, ele deve ser fundamentado nos princípios da empresa e envolver criatividade e inovação, sendo orientado para a concretização de objetivos. O gerenciamento por competências proporciona esse olhar para a organização, contribuindo para a maior efetividade dos processos.

2. Otimização de resultados

Esse tipo de administração também permite tornar as variáveis relacionadas aos colaboradores mais objetivas. Você constrói parâmetros e referências que orientam todo o trabalho e facilitam o enfrentamento de desafios e a superação de obstáculos. O resultado desse processo é um sistema de trabalho organizado, com projetos sólidos e orientações adequadas às potencialidades e necessidades dos profissionais.

Os pontos positivos são reforçados e as lacunas identificadas podem receber atenção necessária para serem melhoradas. Assim, o trabalhador é convidado a se desenvolver continuamente, o que gera melhores resultados para a empresa.

3. Diminuição de gastos

A elevada rotatividade, ocasionada pelo alto índice de turnover, é um problema para as empresas, porque resulta em vários custos adicionais, como as verbas rescisórias, novas contratações e os treinamentos para inserção de novatos. Outros fatores que geram gastos são os erros e o retrabalho, que também podem gerar prejuízos para clientes, promover atrasos e reduzir a qualidade do trabalho.

Ao promover melhores admissões, criando critérios bastante definidos, o processo seletivo é orientado com base nas habilidades necessárias ao cargo. Ou seja, parâmetros direcionam o procedimento, o que aumenta a precisão das contratações. Com isso, a rotatividade diminui.

Outra vantagem é que os treinamentos passam a ser mais objetivos e focados no atendimento das lacunas do negócio. A empresa tem um sistema coerente e coeso de mapeamento de necessidades de capacitação.

A partir daí, ela desenvolve cursos direcionados para o preenchimento das lacunas em capacitações. Isso significa que os gastos com treinamentos muito abrangentes e pouco focados são minimizados. Os investimentos se dirigem para a correção de falhas e aprimoramento de pontos que precisam de melhorias.

4. Abertura às novas tecnologias

A direção por competências se caracteriza por uma grande abertura para as tecnologias de RH. A proposta é otimizar os processos e agilizar as atividades. Softwares para controlar os procedimentos empresariais, inclusive no departamento de Recursos Humanos, são exemplos de ferramentas que ajudam no alcance desses objetivos.

O mercado disponibiliza também soluções informatizadas para o gerenciamento de recrutamento e seleção por meio de determinadas habilidades. Assim, a administração de pessoal pode ser enraizada nas contratações, o que torna as admissões mais efetivas.

5. Crescimento pessoal e profissional para o colaborador

Além disso, esse estilo de gerenciamento alimenta uma cultura de feedback e aprimoramento contínuo na empresa. A ideia é fornecer informações precisas para o colaborador, para que ele saiba bem quais são suas potencialidades e quais os aspectos que precisa melhorar.

O resultado desse processo é o crescimento do profissional, tanto em termos de carreira quanto em questões pessoais. Isso porque não somente são contemplados os conhecimentos técnicos e habilidades, mas também as atitudes do trabalhador diante dos desafios apresentados pela organização.

Progressivamente, com os comentários e o acompanhamento contínuo, o funcionário aprimora questões pessoais como humildade, capacidade argumentativa, foco e busca de desenvolvimento.

6. Desenvolvimento de cultura de aprimoramento contínuo

Além do mais, é possível fazer a qualificação profissional sair dos planos esporádicos para se tornar uma parte da agenda. Ou seja, capacitação se torna hábito, algo integrado ao cotidiano. Esse fator viabiliza a reciclagem de conhecimentos e a renovação do arsenal de saberes dos profissionais.

Os programas de educação corporativa instrumentalizam os colaboradores para que eles tenham um melhor desempenho. Esses fatores contribuem para a melhora das entregas e também para o aumento da produtividade.

A gestão por competências é pautada em uma análise dos processos corporativos e é embasada nos conhecimentos, habilidades e atitudes dos colaboradores. Ela orienta as admissões e facilita a condução dos procedimentos de RH.

Assim, a administração de pessoas fica mais efetiva, embasada em dados sólidos e em informações objetivas que direcionam os profissionais para o crescimento contínuo. Dessa maneira, a empresa fica mais produtiva, organizada e alcança uma maior eficiência operacional e estratégica.

E então? Gostou de conhecer as principais características desse estilo de gerenciamento? Aproveite e deixe o seu comentário! Sua opinião é muito bem-vinda!

No votes yet.
Please wait...
Aumente a assertividade no seu R&S!

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Kit - Entrevista de Candidatos

MATERIAIS GRATUITOS:

Certificação em Recrutamento e Seleção

Apresentação Mensal com Indicadores de RH

CONFIRA + MATERIAIS GRATUITOS

Continue lendo:

Os 7 principais tipos de remuneração e como utilizá-los
Os 7 principais tipos de remuneração e como utilizá-los

Alguns dos principais tipos de remuneração, que nós abordamos ao longo do texto, são: Gratificação funcional; Participação acionária; Remuneração variável; Gratificação por habilidades; Premiações e comissões; Salário indireto e Participação  continue lendo »

Organograma funcional: o que é e como desenvolver
Organograma funcional: o que é e como desenvolver

O organograma funcional é uma figura que demonstra a organização dos colaboradores de uma empresa, indicando as responsabilidades e atividades de acordo com cada cargo. Como funciona este organograma, quais  continue lendo »

Psicologia Organizacional: tudo o que você precisa saber
Psicologia Organizacional: tudo o que você precisa saber

A psicologia organizacional é a vertente da psicologia responsável por desenvolver práticas estratégicas para negócios e empresas. Em um mercado cada vez mais disputado, as demandas de produção e lucro  continue lendo »

Tipos de organograma: entenda quais são e os diferentes perfis de cada uma
Tipos de organograma: entenda quais são e os diferentes perfis de cada uma

Existem diversos tipos de organograma, como o clássico, o horizontal e o vertical. Ele pode ser definido como uma representação visual da empresa, onde é possível visualizar e definir a  continue lendo »

Diversidade nas empresas: entenda como ela pode ajudar seu negócio
Diversidade nas empresas: entenda como ela pode ajudar seu negócio

Na área de Recursos Humanos sabemos que existem várias leis a serem cumpridas e uma delas se refere às cotas de admissão, que reservam uma determinada quantidade de vagas a  continue lendo »

Psicologia no RH: saiba como ela atua!
Psicologia no RH: saiba como ela atua!

A psicologia no RH atua principalmente para promover a qualidade de vida das pessoas no trabalho. Essa área de conhecimento é responsável por desenvolver ações estratégicas para organizações de todos  continue lendo »