Qual a importância das dinâmicas de grupo no processo seletivo?

9 de fevereiro de 2018
Kenoby

As dinâmicas de grupo são atividades quase sempre presentes ao longo do processo seletivo, mas é preciso entender sua importância para o sucesso da contratação. Como essa prática influencia na aquisição de talentos?

É preciso compreender as diversas etapas para sua execução. O planejamento inicial, a coordenação dos candidatos participantes e a análise dos relatórios desenvolvidos contribuem para a obtenção de melhores resultados.

Pensando nisso, criamos este post. Aqui você vai entender a importância das dinâmicas de grupo no processo seletivo, além de conhecer os principais passos para obter bons resultados. Continue a leitura e fique por dentro do assunto!

O verdadeiro objetivo das dinâmicas de grupo

Qual é a razão de aplicar uma dinâmica de grupo? A resposta parece óbvia, mas não é. O intento não é ver quem ganha ou perde a atividade proposta, muito pelo contrário. O objetivo é avaliar como cada um se comporta ao longo do processo.

Imagine que o exercício proposto é solucionar determinada questão, e isso deve ser feito em equipe. Logo, um assumirá o papel de líder, outro de analista e outro de interlocutor. Com isso, é possível avaliar como cada indivíduo se comporta em equipe, e se é ou não adequado para o cargo em aberto.

Além de tudo, é possível identificar se o indivíduo sabe trabalhar em conjunto. A verdade é que, na realização da dinâmica, muitos se isolam e tentam encontrar a solução do problema por conta própria, esquecendo-se dos seus companheiros.

Apesar de o objetivo ser conhecer verdadeiramente os participantes, existem muitos benefícios relacionados. Ao aplicar uma dinâmica, é possível deixar o ambiente da seleção mais leve ou encorajar os participantes nas etapas seguintes, por exemplo.

As dinâmicas de grupo são uma ótima forma de sair do convencional e diferenciar o seu processo seletivo. Para conhecer mais boas práticas de recrutamento e seleção, faça o download gratuito do guia de boas práticas de R&S.

Os principais benefícios das dinâmicas de grupo

Dinâmicas de grupo bem utilizadas contribuem para um processo seletivo mais descontraído e com menos distorções. Elas podem auxiliar a desinibição e o engajamento do grupo, fazendo com que as respostas sejam mais sinceras e mais proveitosas para o avaliador.

Ainda assim, existem outras diversas vantagens geradas por essa prática simples. Continue a leitura e saiba quais são!

Ajuda a identificar o candidato ideal

O principal benefício e objetivo central é encontrar o melhor profissional para o cargo em aberto, analisando como cada um se comporta em equipe.

É preciso considerar que todo trabalho na empresa é feito em conjunto, e somente unindo as habilidades e os conhecimentos dos profissionais é possível alcançar as metas estipuladas.

Como explicado, a dinâmica desempenha um papel ímpar na análise de como cada indivíduo se comporta em grupo. É certo que alguns têm perfil mais dominante, enquanto outros têm perfil colaborativo ou influente. No final, é possível detectar quem realmente tem aderência ao cargo e à equipe de trabalho.

Deixa o processo de seleção mais “leve”

O processo seletivo é um momento de tensão, em especial para os talentos que buscam uma colocação na empresa. Justamente por isso, muitos não conseguem demonstrar quem realmente são, escondendo-se atrás do nervosismo.

A aplicação da dinâmica permite que o ambiente fique mais leve e descontraído, propício para que os candidatos revelem quem realmente são. Assim, torna-se muito mais fácil conhecê-los além do que está escrito no currículo profissional.

Isso também é muito útil para o próprio candidato, que se sente mais tranquilo em participar das próximas etapas — como entrevistas, testes psicológicos ou de conhecimentos específicos. Resumindo, todos saem ganhando.

Elimina o clima de competitividade

O processo seletivo também é um momento de competitividade. Diversos profissionais estão lá em busca de uma única colocação. Isso pode passar uma impressão equivocada de alguns talentos, que ficam mais apreensivos do que outros.

Ao longo da dinâmica de grupo, os próprios candidatos podem se conhecer melhor, criar empatia e até fazer networking. O trabalho em conjunto, obviamente, reduz a percepção de rivalidade, tornando o processo mais saudável e agradável.

É importante destacar que a dinâmica de grupo é uma prévia do que acontecerá dentro da empresa. Logo, dificilmente um candidato que não consegue se conectar a outros, gerando empatia, fará isso no ambiente de trabalho.

Engaja os candidatos ao longo da seleção

Não é difícil ver talentos que desistem do processo de seleção ao longo do caminho. Os motivos podem ser diversos, incluindo a insatisfação com o processo empregado e a má imagem transmitida pela organização.

Com boas dinâmicas, torna-se factível passar a imagem de uma empresa mais descontraída, com pessoas felizes e motivadas. Isso é realmente útil para manter os talentos engajados até o fim do processo, em que somente um será escolhido.

A perda de um candidato ao longo da seleção é um grande problema, afinal, esforços foram empregados para atraí-lo. Assim, sua perda também significa perda de tempo, energia e capital financeiro investido.

Os principais itens para uma boa dinâmica

Uma boa dinâmica é composta de etapas que devem ser respeitadas para assegurar sua eficácia. Desse modo, elencamos os principais aspectos que devem ser observados ao estruturar o planejamento de dinâmicas. Veja:

Quebra-gelo

É sempre interessante incluir técnicas para quebrar o gelo entre os participantes e fazer com que eles se sintam mais à vontade. Isso facilita o desenvolvimento do processo e até mesmo a aplicação de outras dinâmicas.

Apresentação

Outro ponto importante a ser observado é o momento da apresentação entre os candidatos. Para isso, basta pedir que cada participante faça uma breve abordagem sobre si mesmo, suas experiências profissionais, seus gostos, sua rotina, seus sonhos ou o que se sentirem à vontade em compartilhar.

Atividade individual

Antes de entrar no campo das atividades coletivas, é importante abrir as portas das dinâmicas com algo mais específico. Portanto, dinâmicas individuais contribuem muito nesse ponto, permitindo que os candidatos desenvolvam abertamente suas ideias.

Integração

Finalmente, é chegada a hora de integrar os participantes do grupo e fazê-los interagir entre si. Essa fase é riquíssima para avaliar características e habilidades individuais projetadas nos times de trabalho.

Encerramento

Finalizar o processo com uma dinâmica também é algo bastante positivo. Por isso, é interessante utilizar o momento para questionar e solicitar feedbacks. Assim, cada participante pode dizer como se sentiu e o que foi produtivo no processo.

Agora que você já conhece a estrutura do planejamento, confira algumas formas de tornar as dinâmicas ainda melhores!

Defina o objetivo central da dinâmica

Estabeleça o objetivo central da atividade: avaliar a aptidão para liderança, a capacidade de análise de dados, a facilidade de comunicação, o potencial de influenciar outras pessoas etc. Assim você terá mais eficácia na aplicação.

A definição do objetivo também será útil para pesquisar a dinâmica mais adequada, visto que nem sempre é um processo fácil. Logo, quanto mais claro for o objetivo, mais provável será a escolha de um processo realmente eficaz.

Fuja de dinâmicas já conhecidas

Em uma atividade já conhecida, é comum que alguns candidatos tenham vantagens sobre outros, afinal, já entendem o que deve ser feito. Logo, passam a impressão que têm um desempenho superior, o que não é verdade.

Então é necessário evitar exercícios que já foram amplamente utilizados. Busque inovar, fazer algo diferente. Se não consegue criar dinâmicas próprias, então procure fontes exclusivas ou de difícil acesso a outros selecionadores.

Anote e analise os resultados obtidos

Ao longo da dinâmica, aproveite para fazer anotações pertinentes ao processo seletivo, pois confiar apenas na memória pode ser um problema. Tome nota dos candidatos que mais se destacaram, quais habilidades foram identificadas e assim por diante.

Por fim, é o momento de analisar os resultados obtidos. As anotações devem ser relacionadas ao objetivo inicialmente definido, identificando os profissionais que mais se destacaram ao longo do processo.

As dinâmicas ideais para o processo seletivo

Como você já viu, o ideal em relação às dinâmicas de grupo para processo seletivo é fugir do óbvio e escolher opções alternativas, que realmente tirem os candidatos da sua zona de conforto. Para ajudar você a definir boas dinâmicas para a sua empresa, separamos algumas delas. Confira!

Minha identidade

Uma dinâmica interessante para iniciar qualquer processo seletivo tem a ver com a confecção de um crachá que identifique cada um dos candidatos. Nela, os participantes devem receber uma caneta, um papel e uma fita crepe.

A partir disso, eles terão 30 segundos para preencher sua identificação. Se quiser deixar ainda mais interessante, é válido solicitar que eles descrevam brevemente quem são.

Atenção: isso não serve para avaliar aspectos como habilidades artísticas ou mesmo criatividade. O objetivo dessa dinâmica é permitir que o selecionador observe o comportamento de cada participante e descubra como eles reagem a desafios e sob pressão. Além disso, ajuda a analisar a capacidade de clareza, objetividade e organização de ideias.

História

Para quem quer ter a oportunidade de avaliar características como criatividade e raciocínio lógico, a história é uma dinâmica interessante. Para executar, é preciso dividir a turma em grupos e distribuir uma folha com palavras aleatórias para cada grupo.

O objetivo é que o grupo discuta e monte uma história que inclua todas as palavras na ordem em que foram dadas. O resultado é ainda melhor se for estipulado um prazo curto (5 minutos). Por fim, cada grupo deve apresentar a sua história.

O bom dessa dinâmica é que ela permite que os candidatos interajam entre si, se integrem e ainda demonstrem sua forma de atuar em equipe. Dependendo da necessidade da empresa, é um ótimo método para identificar profissionais com habilidade para liderar.

Eu sou o produto

Essa é uma dinâmica muito utilizada, especialmente nos processos seletivos na área de vendas. Por meio dessa dinâmica os candidatos se “vendem” durante um prazo estipulado. Dessa forma, eles realizam uma apresentação de si mesmos, como se fossem produtos.

Entre seus argumentos devem constar:

  • características;
  • diferenciais;
  • benefícios;
  • formas de usar.

Sendo assim, o avaliador terá condições de analisar a capacidade de argumentação e persuasão do candidato. Além disso, é uma forma de perceber como o candidato se percebe, o que ele pensa de si mesmo e qual é o seu nível de positividade e otimismo sobre aquilo que o envolve.

Troca de segredos

A dinâmica de troca de segredos, apesar de parecer bastante íntima, acaba sendo beneficente tanto para a empresa quanto para os participantes. A partir dela, cada participante deverá compartilhar um segredo, uma dificuldade ou um desafio que tem enfrentado de forma anônima, por meio de um pedaço de papel.

Depois de dobrados e misturados, os papéis são distribuídos entre os integrantes do grupo. Cada um dos participantes deverá assumir o problema descrito no papel que pegou como se fosse seu, buscando alternativas para solucioná-lo.

Decorrido determinado intervalo de tempo, o facilitador deve solicitar que cada pessoa compartilhe o problema que recebeu e a solução que propõe. Os demais candidatos devem apenas escutar, sem realizar interferências. Ao final, o debate é aberto a todos.

Com essa dinâmica, o avaliador terá condições de observar a capacidade criativa, empreendedora, de liderança e de resolução de conflitos de cada candidato. O foco, nesse caso, não é no problema, mas na solução que cada um for capaz de criar e quão inovadora ela será.

Dinâmica do desafio

Um pouco mais conhecida, a dinâmica do desafio tem uma essência simples, mas interessante. Trata-se de uma “caixa misteriosa” que será passada pelos participantes enquanto estiver tocando uma música. Ao comando do facilitador, que ficará de costas para o grupo, a pessoa que estiver com a caixa em mãos deve parar de passá-la.

Com certa pressão colocada pelo facilitador, por meio de frases como “você tem certeza de que quer abrir?”, “vai encarar o desafio?”, “se você abrir, seja o que for que estiver dentro da caixa, você terá que fazer”, o participante deverá decidir entre abrir ou não a caixa.

Todos os participantes têm a chance de passar a caixa adiante, se assim preferirem. Do contrário, abrirão a caixa e descobrirão um delicioso bombom, com a ordem “coma o chocolate”.

Essa dinâmica serve para identificar a capacidade que os participantes têm de lidar com a pressão. Além disso, é possível analisar o quanto eles são influenciados por pressões externas e como, afinal, fazem para superá-las.

Como se pode observar, as dinâmicas de grupo são realmente importantes. Elas ajudam a identificar talentos, tornam a seleção mais fluida, mitigam a competitividade e ajudam a engajar os participantes. Contudo, é preciso planejá-las da maneira correta, definindo o objetivo e saindo do lugar-comum.

Se você gostou deste conteúdo sobre dinâmicas de grupo, não deixe de aprender ainda mais sobre o processo de recrutamento e seleção. Leia este post e saiba como aplicar a inteligência artificial no processo de recrutamento e seleção!

Aproveite para assinar nossa newsletter. Assim, poderá acompanhar nossas publicações sobre gestão de pessoas. Vamos lá!

Rating: 4.0/5. From 4 votes.
Please wait...

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Gestor de RH: 6 dicas para engajar o seu time

Todo profissional almeja ter uma carreira de sucesso. Entretanto, a sua ascensão é desafiadora, pois o cargo pretendido requer sempre um nível superior de conhecimento. Em determinado momento da carreira  continue lendo »

Como avaliar os processos seletivos com o Net Promoter Score (NPS)?

Avaliar os processos seletivos das empresas é muito importante, pois torna possível promover melhorias contínuas, engajar e contratar mais talentos. Para auxiliar nessa tarefa, uma boa ferramenta de trabalho é o  continue lendo »

Inteligência Artificial no recrutamento e seleção: Como aplicar?

As condições sociais, culturais, econômicas e organizacionais são aspectos fundamentais na prática de recursos humanos. Com a globalização e o aumento do acesso à internet, surgiram práticas de gestão que  continue lendo »

Recrutador: 4 dicas para impulsionar sua carreira

O mundo nunca passou por um período de tanta facilidade de acesso às informações como nos dias de hoje. Enquanto o rádio demorou 38 anos para atingir uma audiência de  continue lendo »

Como a avaliação por competências pode auxiliar no processo de R&S?

A avaliação por competências se tornou mais uma ferramenta estratégica do RH. Isso porque as lideranças das empresas já perceberam que, para conquistar resultados diferenciados, precisam estar atentas às pessoas.  continue lendo »

Recrutamento preditivo: como ele pode fazer a diferença?

Na corrida pela contratação dos melhores talentos disponíveis no mercado de trabalho, as empresas investem cada vez mais em novas estratégias capazes de identificar e atrair os candidatos adequados. Uma  continue lendo »