Dinâmicas em grupo: o que são e qual a sua importância?

15 de agosto de 2018
Kenoby

Escolher o profissional ideal para a empresa pode ser um trabalho árduo. As organizações mergulham em uma série de etapas a fim de identificar qual é a pessoa ideal para ocupar uma vaga, e uma das técnicas aplicadas durante esse processo é a realização das dinâmicas em grupo.

Existe uma série de dinâmicas que podem ser desenvolvidas, mas nem todos conhecem bem como funciona uma dinâmica e como implantá-la durante a seleção.

Para ajudar nessa tarefa, preparamos este post completo explicando o que é uma dinâmica em grupo e como ela pode ajudar o setor de Recursos Humanos, além de trazer alguns modelos e dicas de características comportamentais que podem auxiliá-lo a escolher o próximo funcionário da empresa. Acompanhe!

O que são dinâmicas em grupo?

A dinâmica em grupo é a etapa do processo seletivo que procura avaliar as habilidades do candidato, por meio de jogos e atividades que simulem a rotina da função que o profissional quer exercer.

O papel da dinâmica é criar o ambiente mais natural possível, para que o candidato à vaga fique à vontade e reaja naturalmente diante dos desafios e situações apresentadas. Sua reação indica a preparação para o cargo, incluindo não só competências técnicas, como também aspectos comportamentais e facilidade para o trabalho em equipe.

Trata-se de uma estratégia eficiente para mostrar características da personalidade que não ficam evidentes nas entrevistas e que pela formalidade da situação podem inibir o profissional.

As dinâmicas também podem ser usadas para a integração de novos profissionais, proporcionando a imersão na cultura e valores da empresa.

Que tal aproveitar para baixar nosso guia completo para a atração de talentos?

Quais são os principais tipos de dinâmica?

Para algumas pessoas, a dinâmica em grupo pode ser uma das etapas mais difíceis do processo seletivo. Muitos participantes não se expõem por timidez e deixam de apresentar seus pontos positivos. Outros ficam intimidados com a presença de pessoas que aparentemente estão mais bem preparadas para a vaga.

Por isso, sempre que o RH promover essa prática, deve ter cuidado para oferecer o máximo de liberdade e bem-estar possível.

A seguir, destacamos os tipos de dinâmica mais comuns realizados durante a escolha do próximo funcionário.

Apresentação

O primeiro passo é conhecer os candidatos à vaga. Algumas apresentações podem ser feitas oralmente. Para inserção em grupo, essa apresentação pode ser feita para o colega, que vai passar a informação para o restante da equipe.

Essa dinâmica ajuda a construir um ambiente de descontração e confiança.

Integração

São atividades que permitem a análise do comportamento individual e em grupo, especialmente diante de desafios ou sob pressão, como na solução de um problema, por exemplo.

Também ajuda a trabalhar a interação e o diálogo entre as pessoas, levando-as a pensar nas suas atitudes e em como enxergam o outro.

Relaxamento

As dinâmicas de relaxamento são mais lúdicas e procuram eliminar as tensões e promover um ambiente mais agradável e tranquilo, amenizando o stress e a ansiedade.

Essa técnica é utilizada para promover a integração quando o grupo é muito frio e as pessoas estão pouco à vontade. Também pode ser aplicada quando é necessário retomar uma atividade.

Simulação de vendas

Nessa prática, os recrutadores dividem as pessoas em grupos, que devem montar uma estratégia de venda de um produto ou serviço para outro grupo, ou até mesmo para os próprios recrutadores.

Esse tipo de dinâmica ajuda a avaliar, além da capacidade de trabalho em equipe e divisão de tarefas, a capacidade de escuta e de expressar ideias.

Dramatização

O grupo recebe um tema com uma situação a ser vivenciada, próxima da realidade de trabalho vivida na empresa. Uma opção é simular a negociação entre vendedores e clientes. Assim, o avaliador consegue identificar o comportamento e as habilidades dos candidatos para a função.

Como a realização de dinâmicas pode colaborar para o trabalho do RH?

A realização de dinâmicas em grupo ajuda o RH a identificar aspectos que não são percebidos em um primeiro contato. A interação com colegas revela características importantes que podem ser desenvolvidas para um melhor desempenho profissional, além do crescimento pessoal.

Também é importante saber identificar o momento correto de realizar uma dinâmica de grupo.

A seguir, destacamos algumas das etapas na gestão de pessoas que podem ser melhoradas com o uso de dinâmicas.

No recrutamento e seleção

Acompanhar o comportamento dos candidatos a uma vaga diante de situações desafiadoras, verificar a capacidade de trabalhar em equipe e identificar se há encaixe com o fit cultural da empresa são algumas das funções da dinâmica na seleção de talentos.

Dentro de um ambiente controlado, mas que simula as situações vivenciadas na rotina corporativa, os responsáveis pela escolha dos próximos funcionários conseguem ter uma visão mais ampla e escolhem com mais segurança quem são as pessoas ideais para contratar, que vão contribuir verdadeiramente para o crescimento da empresa.

No engajamento de funcionários

Algumas dinâmicas específicas podem ser direcionadas para aumentar a motivação dos colaboradores, desenvolvendo diversas habilidades.

Uma das estratégias é o uso dessa ferramenta no processo de integração de novos funcionários, como citamos acima. Ao usar a dinâmica, o RH consegue inserir os colaboradores na cultura da empresa de maneira lúdica e muito mais eficiente do que a apresentação de slides ou a leitura de manuais maçantes.

Com esse trabalho, os profissionais conseguem estabelecer uma melhor relação entre os colegas, incentivando a formação de equipes que podem ser replicadas no ambiente de trabalho.

A estruturação de times coesos ajuda na construção de um bom clima organizacional e favorece o engajamento dos funcionários, afinal, sempre trabalhamos melhor quando lidamos com pessoas com as quais temos um bom relacionamento.

No aperfeiçoamento de líderes

As dinâmicas de desenvolvimento de liderança estimulam a aplicação de uma abordagem dentro do conceito de hierarquia moderno, horizontal, que valoriza a colaboração, a escuta e a empatia. O novo líder incentiva e inspira funcionários, participando ativamente dos processos internos.

Essas dinâmicas promovem hábitos como: trabalho em equipe, proatividade, autoconfiança, confiança no outro, capacidade de tomar decisões, habilidade de delegar tarefas, inteligência emocional, busca de inovações, pensamento estratégico, entre outros.

Por meio dessas atividades, os participantes conseguem identificar características positivas e pontos a serem trabalhados, direcionando o desenvolvimento para essas questões. Também acumulam experiências para lidar com o outro dentro de uma situação real e que exige uma posição mais acertada, sem tanto espaço para erros como no ambiente proporcionado pela dinâmica de grupo.

As dinâmicas voltadas para a liderança são ferramentas importantes para gerar o amadurecimento profissional dessas pessoas e impactam diretamente no índice de retenção de funcionários, já que um dos motivos que mais provocam pedidos de demissão está nos problemas de relacionamento com o chefe.

Um gestor bem preparado consegue lidar melhor com a equipe e trazer resultados positivos para a empresa.

Como criar uma dinâmica em grupo?

Existem diversas dinâmicas que levam a diferentes fins. A melhor atividade para o processo seletivo que você está montando vai revelar os aspectos que são importantes para a sua empresa e para o preenchimento da vaga.

Portanto, não há uma fórmula de sucesso. É importante entender o que você busca nos candidatos para criar a dinâmica ideal. No entanto, vamos dar algumas orientações que vão nortear esse trabalho. Confira!

Organize grupos pequenos

Aconselha-se a realização de dinâmicas com no máximo 15 pessoas, para que possa ser feito um acompanhamento mais próximo e evitar o excesso de informações.

Se a atividade conta com vários recrutadores para ajudar na escolha, ela pode ser realizada em grupos maiores, desde que todos estejam alinhados ao mesmo propósito.

Conheça os candidatos com a apresentação

A apresentação é a primeira dinâmica a ser realizada e vai ajudar a conhecer os candidatos, além de permitir observar características como desembaraço e postura diante das situações.

Uma maneira divertida de realizar a dinâmica de apresentação é propor que todos se levantem e o primeiro a pegar o objeto disponível na mesa começa a se apresentar, falando nome, idade, última experiência profissional ou qualquer informação que o recrutador achar relevante.

Ele vai passar o objeto para a pessoa ao lado, que vai repetir o processo. Depois, esse objeto faz o caminho inverso, e o participante deve repetir as informações da pessoa que está ao lado. Essa dinâmica ajuda a quebrar o gelo e estimula a atenção durante a atividade.

Realize uma dinâmica específica relacionada ao trabalho

Essa etapa vai variar de acordo com a atividade que o candidato vai exercer ao ser contratado. Pode ser usada a simulação de vendas na disputa de vagas comerciais, ou a apresentação de ideias para cargos em que a pessoa vai representar a empresa.

Procure replicar uma situação que acontece frequentemente durante o trabalho. Essa representação vai servir de laboratório para mostrar como seria o comportamento do candidato se ele já fizesse parte do quadro de funcionários.

Durante essa dinâmica, perceba a interação entre os participantes, quem ouviu o outro, quem se impôs demais, quem estava disposto a colaborar, entre outras características que julgar importantes. Vá anotando o que perceber dos candidatos para ajudar na seleção final.

Proponha dinâmicas que envolvam a criatividade

Pedir aos candidatos a uma vaga que realizem trabalhos manuais pode parecer fora de contexto, mas também ajuda a filtrar os profissionais em um processo seletivo.

Geralmente, esse tipo de atividade rende mais que o proposto, por isso é interessante ficar atento a toda a movimentação. Aspectos como hiperatividade e dificuldade de concentração podem ser percebidos durante a prática.

Faça uma atividade de encerramento

A última etapa é solicitar um feedback dos participantes, perguntando a sua opinião sobre as técnicas, em qual fase se sentiram mais à vontade e quais foram as suas impressões.

Nessa fase, é essencial deixar os profissionais à vontade, para que eles não tenham medo de que a sua opinião possa influenciar os resultados da seleção.

Esse feedback é importante para alinhar as experiências proporcionadas pela empresa com os processos aplicados pela concorrência e captar pontos que podem ser melhorados.

Nessa fase, podem ser esclarecidos os próximos passos da seleção de talentos, como e quando serão informados os resultados, entre outros detalhes.

Também é importante agradecer os participantes pelo tempo e esforço empregados.

Como avaliar as dinâmicas?

Após a realização das atividades, é o momento de organizar as anotações e percepções coletadas e avaliar quais candidatos podem fazer um bom trabalho dentro da organização.

Assim como no planejamento da dinâmica, vale destacar que não há um padrão. A relevância das competências depende das necessidades da vaga e características da empresa.

Trabalhos que exigem introspecção vão valorizar aspectos como capacidade de concentração, enquanto atividades relacionadas com o público exigem pessoas mais expansivas e comunicativas.

Por isso, é importante ter uma definição prévia e cuidadosa dos detalhes da vaga e de todas as características necessárias para um bom exercício da função, se possível com o levantamento dos ex-colaboradores que apresentaram bons resultados e dos aspectos que levaram a isso.

Porém, alguns fatores podem ser observados e usados para triagem de maneira geral:

  • boa comunicação;
  • capacidade de ouvir o outro;
  • criatividade;
  • compartilhamento de ideias;
  • respeito ao espaço do outro;
  • assumir responsabilidades;
  • propor sugestões;
  • ser participativo;
  • respeitar opiniões divergentes;
  • engajamento e interesse na atividade;
  • profissionalismo e naturalidade;
  • acompanhamento do ritmo da equipe;
  • demonstrações de segurança, sem passar por cima dos demais participantes;
  • uso do raciocínio e planejamento na execução de tarefas;
  • apoio aos demais membros;
  • realização da atividade dentro do tempo proposto;
  • capacidade de trabalho sob pressão.

Comportamentos como boicote aos demais participantes, arrogância, falta de participação ou desinteresse podem identificar problemas mais sérios e justificam a eliminação do candidato.

A realização de dinâmicas em grupo é um passo importante para escolher o profissional ideal para a empresa. Em conjunto com entrevistas e aplicação de testes psicológicos, permite uma decisão mais acertada e menos sujeita a erros.

Além da aplicação em outros processos de responsabilidade dos Recursos Humanos, como na integração de funcionários, desenvolvimento de líderes e estímulo do engajamento, as dinâmicas em grupo contribuem para a formação de grupos coesos, diminuem a tendência de demissões em curto prazo e colaboram até mesmo para a construção de um bom employer branding.

Para que você consiga acertar ainda mais no recrutamento de talentos da sua empresa, conheça os serviços da Kenoby. Oferecemos um software inteligente que permite a gestão completa do processo seletivo. Entre em contato conosco e peça uma demonstração!

Rating: 5.0/5. From 2 votes.
Please wait...

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Como avaliar um candidato em um processo seletivo

Quando pensamos em recrutamento e seleção, sempre valorizamos mais o primeiro conceito — publicar nos melhores sites de vagas, criar campanhas inovadoras — e pouco falamos sobre como avaliar um candidato. É  continue lendo »

3 exemplos de dinâmicas de grupo e seus benefícios na seleção!

Entrosamento, iniciativa e desafio são apenas alguns exemplos de dinâmicas de grupos. E os seus benefícios são diversos, podendo ser aplicados desde o momento do processo seletivo, até os períodos  continue lendo »

Descubra quando aplicar testes psicológicos em sua empresa

As empresas aderem cada vez mais a diferentes estratégias para acertar nas contratações, aumentando a probabilidade de escolher um candidato que tenha as competências técnicas e comportamentais necessárias para o  continue lendo »

Teste psicológico em recrutamento e seleção: conheça essa prática!

A aplicação do teste psicológico em recrutamento e seleção de pessoas é uma das ferramentas que o RH vem aplicando em um esforço para escolher o funcionário mais adequado para  continue lendo »

Conheça os 3 principais tipos de testes psicológicos realizados

Já faz algum tempo que as empresas concluíram que a avaliação de novos talentos não deve ser limitada à análise da qualificação e de experiências anteriores de um profissional. Por  continue lendo »

Entenda como fazer uma avaliação de desempenho na empresa

Existem diversos modelos de avaliação de desempenho, como a autoavaliação ou avaliação em 360 graus. Para ajudar você nessa tarefa, criamos este post que ensina como fazer uma avaliação de desempenho  continue lendo »