Licença nojo: entenda o que é e quem tem direito a ela

8 de setembro de 2017
Kenoby

A legislação trabalhista permite que o colaborador se ausente por alguns dias sem que o período seja descontado de seu salário. É o que acontece, por exemplo, em casos de licença paternidade, de obrigações com a justiça e com serviço militar e da licença nojo, da qual falaremos neste texto.

Essa licença está relacionada aos dias de afastamento devido ao falecimento de algum familiar próximo. Em um primeiro momento, o nome soa um pouco estranho, já que a palavra nojo remete a algo que gera asco ou repugnância, contudo, o termo também significa pesar, tristeza e luto.

A seguir, nos aprofundaremos mais no assunto, explicando em quais casos ela é aplicada. Acompanhe!

Quem tem direito a licença nojo

Todo trabalhador registrado via CLT tem direito ao período de luto. O mesmo acontece com os servidores públicos, porém as regras e prazos são diferentes.

Os funcionários celetistas podem se ausentar do trabalho em caso de morte de pais, avós, filhos, irmãos, netos, cônjuges e qualquer pessoa que viva sob dependência econômica e que conste na carteira de trabalho e previdência social dele. No caso do cônjuge, o direito também é garantido para união estável e homoafetiva.

Para os servidores, a licença luto se aplica a pais, madrasta ou padrasto, cônjuge, filhos, enteados, irmãos e menor sob guarda ou tutela.

Qual o período de afastamento

Conforme o artigo 473 da CLT, que diz respeito as faltas justificadas, a duração da licença nojo é de dois dias consecutivos, tendo início no dia seguinte ao falecimento caso o profissional já tenha iniciado ou concluído o turno de trabalho.

Se a ocorrência for antes do expediente, o prazo começa a valer no mesmo dia, por exemplo: se o pai de um colaborador morrer durante a madrugada de quarta para quinta-feira, a licença será aplicada na quinta e sexta-feira.

A legislação prevê o afastamento por dois dias corridos, portanto, se um parente falecer na sexta-feira, o funcionário deve retornar na segunda-feira. No entanto, algumas empresas e acordos coletivos consideram somente os dias de trabalho.

Já para os servidores públicos, aplica-se a Lei 8112/90, que permite a ausência do trabalhador por 8 dias consecutivos.

Para controlar os indicadores e apresentar as informações referentes à licença nojo e à outras métricas da sua área, preparamos um modelo de apresentação de indicadores de RH. Baixe grátis!

Apresentação Mensal de Indicadores de RH


 

Documentos necessários para solicitar a licença

Em muitos casos, basta que a situação seja informada a empresa para justificar o afastamento. Contudo, ao retomar as atividades, o profissional precisará apresentar a certidão de óbito e, se necessário, o documento que comprove o grau de parentesco.

Em caso de morte do companheiro(a) em união estável, alguns documentos comprovam o vínculo, são eles: certidão de nascimento de filho ou adoção, certidão de casamento religioso, comprovante de endereço, conta bancária conjunta, entre outros.

A licença nojo, ou licença luto, é uma forma de o colaborador se recuperar da perda de um familiar — independentemente se o falecimento for repentino ou não — e também de tratar das questões burocráticas relacionadas ao óbito sem ter os dias descontados do salário.

Muitas pessoas têm dúvidas sobre essa licença e como ela funciona. Compartilhe este texto em suas redes sociais para que seus amigos e colegas de trabalho fiquem informados sobre o assunto!

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Férias coletivas: entenda como funciona e a sua regulamentação!

Férias coletivas podem gerar dúvidas nos profissionais de RH, principalmente em relação ao cumprimento das regras previstas na CLT. Além disso, nem sempre, todos os trabalhadores preenchem os requisitos necessários para os  continue lendo »

Você sabe o que é dissídio? Entenda como funciona e como é calculado

Dissídio é uma palavra bastante comum no ambiente empresarial, mas esse termo pode ser motivo de grande dor de cabeça para os gestores de recursos humanos, caso eles não tenham  continue lendo »

Adicional noturno: entenda as principais regras e como calcular

Você sabe quais as principais regras sobre o adicional noturno? Esse pagamento levanta diversas dúvidas no setor de recursos humanos. Afinal, o conhecimento da legislação é fundamental para entender seu  continue lendo »

Aviso prévio: o que você precisa saber sobre o assunto?

As regras de aviso prévio são frequentemente aplicadas no cotidiano do setor de Recursos Humanos. Isso porque, querendo ou não, a demissão de funcionários faz parte da rotina do departamento.  continue lendo »

Pedido de demissão: entenda como funciona o processo

O pedido de demissão é um tema que gera muita confusão, tanto para empregadores quanto para funcionários. Profissionais de RH devem estar atentos a todas as etapas do processo, desde a carta de  continue lendo »

Pró-labore: saiba qual a diferença entre ele e o salário

Pró-labore e salário são termos muitas vezes confundidos, mas que têm significados diferentes no contexto de uma empresa. Um está direcionado aos sócios-administradores do negócio, enquanto o outro está relacionado  continue lendo »