Organograma funcional: o que é e como desenvolver

15 de agosto de 2018
Kenoby

O organograma é um gráfico importante para entender as relações dentro de uma empresa, como os trabalhos são delegados e a quem cada funcionário responde. Dentro dos diversos modelos existentes, abordaremos o organograma funcional.

Como funciona este organograma, quais são suas vantagens e desvantagens e como estruturá-lo? É o que você vai aprender neste post. Acompanhe!

O que é organograma funcional?

O organograma funcional é uma figura que demonstra a organização dos colaboradores de uma empresa, indicando as responsabilidades e atividades de acordo com cada cargo.

Sua estrutura é muito parecida com a de um organograma vertical, porém no organograma funcional o foco está nas funções exercidas.

Para uma explicação mais clara, no organograma vertical os quadros indicam as denominações do cargo ocupado por cada um: diretor, assessor, gerente de fábrica etc. No organograma funcional, as indicações estão relacionadas às atividades de contabilidade, consultoria, vendas e estoque.

Principalmente para empresas mais modernas, que desprezam o conceito tradicional de hierarquia, o organograma funcional é muito útil, pois indica de maneira mais clara a função exercida, que, para corporações que adotam essa cultura interna, é mais importante do que o cargo que a pessoa ocupa.

Antes de continuar, aproveite para se inscrever no nosso minicurso gratuito e online por e-mail sobre automatização do RH!

Quais suas principais vantagens e desvantagens?

Assim como todos os modelos de organograma, o funcional apresenta vantagens e desvantagens. É importante avaliar quais são os objetivos da organização para identificar qual o modelo mais adequado.

Vantagens

  • Todos conhecem a estrutura organizacional da empresa;
  • as informações estão centralizadas, favorecendo o desenvolvimento de uma visão completa do negócio;
  • os processos estão mais estruturados, facilitando as consultas e a solução de problemas;
  • facilita o trabalho em equipe;
  • aumenta a flexibilização de atividades.

Desvantagens

  • Não acompanha o desenvolvimento de ambientes que estão passando por transformações, sendo que para isso exige atualizações constantes;
  • pode gerar conflitos e competição entre os departamentos;
  • presença de muitas chefias;
  • dificulta a definição de objetivos.

Como desenvolver o organograma funcional

O organograma funcional segue o mesmo template que um organograma vertical: utiliza linhas interligando cargos e caixas com as denominações de cada função. Cada linha do organograma representa um nível dentro da empresa.

Porém, como o foco do modelo funcional são as atividades exercidas por cada um, é preciso ter uma preparação prévia antes de estruturar o gráfico. Podemos separar esse trabalho prévio em três etapas.

  1. Separe e compreenda as funções exercidas por cada colaborador. Esse detalhe é de extrema importância, pois é comum encontrarmos em empresas pequenas pessoas que assumem diversos cargos.
  2. Identifique quem está na liderança de cada setor. Para melhor identificação, separe cada nível hierárquico por cor.
  3. Após a delimitação correta e a estruturação do organograma, é hora de passar o documento pelo setor administrativo e gestores de cada equipe, a fim de validar as informações e realizar possíveis ajustes.

Exponha o organograma em um local de fácil visualização para que ele cumpra o seu papel: guiar os funcionários em relação aos processos internos.

Para montar um bom organograma, conte com o uso de softwares modernos e práticos, seja objetivo e claro, e acima de tudo, tenha conhecimento dos processos internos que serão descritos no documento.

Esteja disposto a conversar com as equipes para entender exatamente o que é feito em cada uma e assim conseguir fazer um gráfico que traduza a realidade da empresa.

Um bom organograma funcional vai facilitar uma série de tarefas e ajudar até mesmo no recrutamento de talentos e na elaboração de um plano de carreira.

E para colaborar ainda mais na atração dos melhores talentos para a sua empresa, conte com a Kenoby. Temos a solução ideal para agilizar a contratação dos profissionais ideais. Entre em contato conosco para conhecer os nossos serviços!

Rating: 5.0/5. From 3 votes.
Please wait...

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

O que é e o que faz o profissional de gente e gestão nas empresas?

Não se gerencia pessoas, se gerencia com pessoas. A diferença pode até ser sutil no papel, mas na prática não é. Por essa razão, nas empresas mais modernas, o termo  continue lendo »

Analista de Recrutamento e Seleção: o que faz, quanto ganha e mais!

Em todos os nossos posts, temos abordado a mudança do mercado em geral, mas, principalmente, a transformação que a área e o trabalho de profissionais como o Analista de Recrutamento  continue lendo »

Digitalização do RH: entenda o que é e qual a importância

Visando conquistar resultados cada vez melhores com cada vez menos processos, a evolução tecnológica atinge todos os setores das empresas. Com a área de recursos humanos não é diferente. A  continue lendo »

Diretor de RH: o que faz, quanto ganha e como se tornar um

Peça importante em uma organização, o diretor de RH é responsável pelo bom funcionamento do departamento de recursos humanos. Ele cuida dos funcionários, tanto no aspecto operacional (realização de funções)  continue lendo »

Remuneração variável: o que é e como funciona? Descubra!

A remuneração tradicional é um fator estratégico para atrair e reter talentos. Mas é necessário ter prudência: elevá-la pode prejudicar a rentabilidade da empresa. Por essa razão, vários empresários e  continue lendo »

Como fortalecer a cultura organizacional da minha empresa?

Saber como fortalecer a cultura organizacional é essencial a todo gestor que deseja estabelecer valores em sua empresa. Quando existe uma cultura sólida, todos entendem o que deve ser priorizado  continue lendo »