Técnico de Segurança do Trabalho: o que faz, quanto ganha e mais!

1 de Fevereiro de 2018
Kenoby

Com a preocupação crescente em relação às condições de segurança no ambiente profissional, a profissão de técnico de segurança do trabalho está em alta e sendo bastante valorizada no mercado de trabalho.

Essa é uma função de extrema importância para qualquer organização, independentemente do porte ou área de atuação. Empresas que estão com obras em andamento, por exemplo, podem ser obrigadas legalmente a contratarem um técnico de segurança do trabalho.

Por que contratar um técnico de segurança do trabalho?

A prevenção de acidentes representa o cuidado com o maior capital de uma organização:os funcionários. Essa atitude também evita que a imagem da empresa seja prejudicada e possíveis prejuízos causados por indenizações e processos trabalhistas em decorrência de lesões de trabalho.

O que faz um técnico de segurança do trabalho?

O técnico é responsável pelas seguintes atividades:

  • Analisar e trabalhar em melhores maneiras de se realizar processos, mitigando riscos de acidentes e não prejudicando a produtividade do setor;
  • Gerir conflitos entre áreas e comunicar corretamente as políticas de segurança do trabalho;
  • Fiscalizar e monitorar a aplicação correta das normas.

Esse profissional pode atuar tanto na indústria, na construção civil, em hospitais, bancos e comércios.

Qual é a qualificação necessária?

Para atuar nessa profissão, são solicitados:

  • Ensino Médio completo;
  • Curso técnico de especialização em Segurança do Trabalho.

Atualmente, algumas universidades oferecem o curso de Tecnólogo em Segurança do Trabalho.

Quais as habilidades que esse profissional deve ter?

Dentre as habilidades requeridas para a função, estão:

  • ética;
  • capacidade de administrar conflitos;
  • boa observação técnica;
  • proatividade;
  • bom relacionamento interpessoal;
  • excelente comunicação;
  • atenção aos detalhes;
  • alta capacidade de concentração.

Qualquer pequeno erro que passe despercebido pode gerar um acidente grave, comprometendo não apenas a obra, mas afetando seriamente a saúde dos envolvidos e podendo até provocar um acidente fatal. Um pequeno deslize pode custar uma vida e comprometer seriamente a imagem da empresa.

Com a grande responsabilidade que o técnico em segurança do trabalho assume, o cuidado e zelo nas tarefas são características fundamentais para que exercer essa função.

Qual é o salário?

Como já frisamos, essa profissão está em alta e sendo muito requisitada pelas empresas de diferentes atuações e portes. Se antes ela não era muito valorizada, hoje muitos profissionais já concluem a formação contratados.

Os pisos salariais são definidos pelos sindicatos da categoria e variam de acordo com o estado e setor de atuação. Em São Paulo, por exemplo, o salário-mínimo de um técnico no setor de engenharia consultiva fica em torno de R$3.239,00; em hospitais e clínicas particulares, a remuneração é por volta de R$2.917,00.

Já no Paraná, o piso básico é de R$1.636,00, enquanto na Bahia é um pouco maior, de R$2.385,00. Os salários de um técnico de segurança do trabalho podem chegar até R$6.000,00.


Template para descrição de vaga

Estamos procurando por um Técnico de segurança do trabalho que elabore protocolos e processos que evite e mitiguem os riscos de acidentes durante as atividades dos demais colaboradores da companhia.

RESPONSABILIDADES

  • avaliar o ambiente profissional, visando a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais;
  • proteger a integridade física e a saúde do trabalhador;
  • analisar o espaço e recomendar as medidas cabíveis de prevenção de acidentes, adaptadas para cada atividade e setor da empresa;
  • realizar ações educativas;
  • orientar sobre o uso do EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva);
  • investigar os acidentes ocorridos;
  • registrar irregularidades;
  • instruir sobre normas de combate a incêndios;
  • coordenar a publicação de matérias sobre segurança no trabalho;
  • realizar levantamento de dados;
  • participar de reuniões sobre segurança no ambiente laboral.

REQUISITOS

  • Ensino Médio completo;
  • Curso técnico de especialização em Segurança do Trabalho.
  • Conhecimento do normas e padrões legais;
  • Conhecimento da estrutura e funcionamento de setores operacionais.

 

Gostou do nosso post? Então assine a nossa newsletter e receba informações sobre recrutamento toda semana.

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Férias coletivas: entenda como funciona e a sua regulamentação!

Férias coletivas podem gerar dúvidas nos profissionais de RH, principalmente em relação ao cumprimento das regras previstas na CLT. Além disso, nem sempre, todos os trabalhadores preenchem os requisitos necessários para os  continue lendo »

Você sabe o que é dissídio? Entenda como funciona e como é calculado

Dissídio é uma palavra bastante comum no ambiente empresarial, mas esse termo pode ser motivo de grande dor de cabeça para os gestores de recursos humanos, caso eles não tenham  continue lendo »

Adicional noturno: entenda as principais regras e como calcular

Você sabe quais as principais regras sobre o adicional noturno? Esse pagamento levanta diversas dúvidas no setor de recursos humanos. Afinal, o conhecimento da legislação é fundamental para entender seu  continue lendo »

Aviso prévio: o que você precisa saber sobre o assunto?

As regras de aviso prévio são frequentemente aplicadas no cotidiano do setor de Recursos Humanos. Isso porque, querendo ou não, a demissão de funcionários faz parte da rotina do departamento.  continue lendo »

Pedido de demissão: entenda como funciona o processo

O pedido de demissão é um tema que gera muita confusão, tanto para empregadores quanto para funcionários. Profissionais de RH devem estar atentos a todas as etapas do processo, desde a carta de  continue lendo »

Pró-labore: saiba qual a diferença entre ele e o salário

Pró-labore e salário são termos muitas vezes confundidos, mas que têm significados diferentes no contexto de uma empresa. Um está direcionado aos sócios-administradores do negócio, enquanto o outro está relacionado  continue lendo »