Tipos de feedback: saiba quais são e quando utilizá-los

26 de julho de 2018
Kenoby

A comunicação profissional dentro de uma empresa exige clareza e assertividade, e os feedbacks são ótimas maneiras de colocar esses aspectos em prática. A ideia é oferecer um direcionamento para que o funcionário saiba que medidas tomar para crescer cada vez mais e trazer bons resultados para o empreendimento.

Na empresa, esse é um dos pilares de uma cultura de aprimoramento contínuo. Ele pode ser dado em diferentes contextos, além de haver diferentes tipos de feedbacks. Quer conhecer mais sobre o tema? Confira o nosso post e entenda!

Qual é a importância do feedback?

Sempre que uma tarefa é realizada, é importante saber se ela gerou o efeito desejado e se o resultado ficou na qualidade planejada. Para isso, existe o feedback. Ele envolve uma opinião sobre o serviço, fundamentada em argumentos sólidos.

O feedback é uma devolução sobre o desempenho no trabalho, com o objetivo de promover crescimento e amadurecimento profissional. Ou seja, tem sempre uma proposta construtiva.

Em uma corporação, os feedbacks são necessários para conscientizar os profissionais acerca do seu trabalho. Assim, eles podem saber dos pontos fortes e fracos de seu desempenho. Isso permite que eles busquem melhorias e se esforcem para manter perfomances que tenham bons resultados.

 

Quais são os principais tipos de feedbacks?

Há diferentes tipos de feedbacks que podem ser explorados dentro de uma relação profissional. A seguir, entenda melhor cada um deles.

Feedback positivo

O feedback positivo busca reconhecer o mérito de um bom desempenho em algum trabalho. Quando você se sai bem em alguma tarefa, pode ser que receba um elogio ou cumprimento, por exemplo.

O retorno positivo é uma excelente forma de manter a motivação do profissional e de estimular a repetição de comportamentos bem-sucedidos. Os trabalhadores sentem que o trabalho foi valorizado e que seus esforços valeram a pena.

Assim, é importante que você aproveite a oportunidade de dar um retorno positivo ao colaborador quando notar que o trabalho foi bem realizado. A carência desse tipo de feedback pode gerar desmotivação, insegurança, a crença por parte do trabalhador de não ser bom suficiente e um mau clima organizacional.

Feedback negativo

Quando o colaborador age de forma inadequada ou faz um trabalho em uma qualidade abaixo da desejada, é hora de dar um feedback negativo. Não é um sermão violento ou xingamento, e sim uma crítica construtiva, baseada em uma argumentação concisa. Isso significa que, quem dá a devolutiva, deve apontar claramente quais foram os erros cometidos, indicando pontualmente o problema.

No feedback negativo, é bom não comparar o desempenho de diferentes funcionários, pois isso incita a rivalidade e não acrescenta muito para o melhor desempenho da equipe. Além disso, é importante que os pontos positivos do profissional sejam apontados, antes que sejam apresentados problemas de desempenho.

Feedback construtivo

Dentre os tipos de feedbacks, o feedback construtivo se aproxima muito do positivo. A diferença é que esse oferece, junto às pontuações positivas, a indicação de estratégias para maximizar o desempenho e alcançar resultados ainda mais benéficos.

Ou seja, ele dá o apontamento de um caminho a ser seguido para que o colaborador tenha ainda mais sucesso em seu trabalho. A proposta é valorizar o progresso e estimular o crescimento.

Quais são as principais formas de usar feedbacks?

Você pode adotar formas diferentes de dar um feedback. Veja as principais maneiras a seguir.

Feedback pessoal

O feedback pessoal é uma proposta bastante vantajosa, pois evita problemas de comunicação e mal-entendidos. É uma oportunidade única, que permite ver a reação imediata do profissional, além de possibilitar o esclarecimento de dúvidas.

No feedback pessoal, você pode checar de imediato qual é o nível de entendimento que a pessoa tem do que é dito, o que evita gargalos na comunicação.

É necessário ter muito cuidado para transmitir a informação. As palavras devem ser bem escolhidas, de forma que a mensagem seja clara e concisa. Isso é especialmente delicado nos casos de feedback negativo.

O gestor não deve utilizar expressões ofensivas ou muito duras. Além disso, trazer aspectos positivos junto ao apontamento de problemas sempre pode ajudar a suavizar a situação e tornar a crítica construtiva mais assimilável para o funcionário.

Uma boa alternativa que você pode adotar é se preparar antes de conversar com o colaborador. Liste o que é essencial e planeje como você vai falar.

Feedback por e-mail

O feedback por e-mail possibilita que você tenha um tempo maior para preparar a mensagem e tenha a oportunidade de fazer uma revisão do conteúdo escrito. Isso é positivo, porque o gestor pode avaliar a qualidade do discurso, além da chance de contar com uma segunda opinião, caso haja a necessidade.

É fundamental escolher bem as palavras e demonstrar cordialidade ao destinatário da mensagem. Dar exemplos e citar situações reais relacionadas ao assunto também pode facilitar a compreensão da mensagem.

O e-mail também abre espaço para a expressão de dúvidas. Uma grande vantagem é que o trabalhador pode ficar menos inibido para fazer suas perguntas e comentários, devido à ausência do contato visual.

Feedback por telefone

O feedback por telefone é uma alternativa mais pessoal. Apesar de não haver o contato face a face, a voz é um elemento importante para identificar como o trabalhador reage ao retorno dado. Esse recurso também possibilita ter uma resposta imediata do profissional, o que é favorável para o esclarecimento de dúvidas.

Ter cuidado para que a sua voz expresse atenciosidade e cordialidade pode ser uma boa maneira de favorecer o conforto para o colaborador diante das críticas. É primordial também realizar um preparo prévio, como registrar tópicos sobre o que deverá ser dito, para não esquecer os pontos essenciais a serem abordados na conversa.

O feedback é uma excelente ferramenta para a corporação desenvolver uma cultura de aprimoramento contínuo. Por meio de uma devolução baseada em argumentos sólidos e construtivos, é possível incentivar os profissionais e, consequentemente, aumentar a produtividade.

Portanto, feedbacks podem ser realizados por meio de vários canais diferentes, como e-mail, telefone ou em encontros pessoais. Cada via apresenta vantagens e desvantagens, como vimos acima.

Os principais tipos de feedbacks são o positivo, o negativo e o construtivo. Com eles, é possível melhorar a comunicação interna da empresa e os processos de recrutamento. Gostou de aprender mais sobre os feedbacks? Aproveite e deixe o seu comentário!

Rating: 5.0/5. From 1 vote.
Please wait...
Aumente a assertividade no seu R&S!

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

MATERIAIS GRATUITOS:

Certificação em Recrutamento e Seleção

Apresentação Mensal com Indicadores de RH

Kit - Entrevista de Candidatos

CONFIRA + MATERIAIS GRATUITOS

Continue lendo:

Como responder um e-mail de recebimento de currículo

Com o avanço da tecnologia, grande parte das pessoas adotou o e-mail como a principal forma de envio de currículos. E você, como vem tratando seus candidatos? Já parou para pensar  continue lendo »

As 7 melhores práticas de feedback negativo no processo seletivo

Conduzir uma seleção na empresa é um verdadeiro desafio, não é mesmo? Além do grande número de avaliações, dinâmicas, critérios e etapas para organizar, é preciso gerenciar adequadamente o contato  continue lendo »

4 bons motivos para dar feedbacks aos candidatos no processo seletivo

Todo processo de seleção tem dois agentes de busca: a empresa que procura o melhor candidato e o profissional que quer uma vaga que atenda a suas expectativas. Considerando que  continue lendo »

feedback a candidatos
Feedback de Recrutamento e Cultura Empresarial

Já falamos aqui, no Blog Kenoby, sobre a importância do feedback e demos dicas de como fazê-lo, mas você sabia que a cultura de feedback vai muito além disso? Por  continue lendo »

6 passos para fornecer feedbacks de qualidade

A falta de retorno por parte das empresas pode ser extremamente frustrante e desencorajadora para um candidato. Todos já passamos por isso e já vimos no post 4 bons motivos  continue lendo »