Treinamento e desenvolvimento: Tire suas dúvidas sobre esse tema

4 de dezembro de 2017
Kenoby

O treinamento e desenvolvimento é uma das atividades mais importantes nos processos de recrutamento de profissionais nas empresas. Essa etapa é considerada fundamental para garantir o aprimoramento dos profissionais, bem como a melhoria nas atividades diárias e o atendimento aos clientes.

Mas ainda há muitas dúvidas sobre esse assunto, dentre elas: qual a diferença entre treinar e desenvolver alguém? De quem é a responsabilidade? Quais indicadores devem ser utilizados para avaliar o sucesso de programas de treinamento e desenvolvimento?

Para te ajudar a solucionar as principais questões sobre o tema, confira nesse artigo os pontos essenciais que você precisa saber:

A importância de aprimorar os profissionais

No Brasil, os profissionais passam por apenas 16,6 horas de treinamento ao ano, segundo uma pesquisa da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento. Para se ter uma ideia, esse número de horas pode quase dobrar em outros países, como Estados Unidos, por exemplo.

A falta de treinamento pode influenciar de modo negativo as atividades diárias da empresa como um todo, bem como a satisfação dos clientes finais. Quando o atendimento deixa a desejar, os resultados negativos podem ser percebidos, já que esse é o motivo que faz com que 86% dos clientes deixam de comprar em uma empresa.

Sendo assim, o desenvolvimento dos profissionais pode ser visto como um investimento estratégico, capaz de gerar novos negócios e reduzir prejuízos futuros. Também é possível afirmar que pode servir de diferencial competitivo, destacando a companhia da concorrência.

A diferença entre treinamento e desenvolvimento

Para o setor de Recursos Humanos, há uma grande diferença entre treinar e desenvolver um talento. O treinamento possui foco em ações presentes, ou ainda em atividades desempenhadas diariamente pelo profissional. Para um vendedor, por exemplo, o treinamento estaria ligado ao uso de técnicas de vendas, atendimento aos clientes, negociação e tudo que está relacionado à sua atual atividade dentro da empresa.

O desenvolvimento, por outro lado, possui um foco no futuro. O objetivo não é preparar o profissional para seu cargo atual, mas para situações que possam acontecer (como uma promoção, por exemplo). O desenvolvimento está ligado a programas de coaching, gestão do tempo, liderança e práticas de intraempreendedorismo, dentre outras.

Essas duas práticas devem ser equilibradas pelo profissional de RH, para reconhecer a importância de capacitar os colaboradores da empresa para o presente e o futuro.

Os principais passos para capacitar colaboradores

A desorganização no planejamento, execução e controle de programas de capacitação ainda é um desafio para muitas empresas. É comum que nessas companhias, os programas de treinamento e desenvolvimento de profissionais não tenham etapas previamente definidas, nem indicadores de sucesso ou objetivos finais bem delineados.

Pode até não parecer, mas essa falta de programação custa caro, já que não é possível mensurar qual foi o retorno sobre o investimento feito. Confira os principais passos ao implementar uma política de treinamento e desenvolvimento em empresas:

  1. Avalie em quais áreas o treinamento e desenvolvimento dos profissionais são necessários;
  2. Analise se os profissionais possuem as competências necessárias para participação;
  3. Selecione o tipo de programa que será utilizado e quais os objetivos devem ser alcançados;
  4. Encontre um ambiente propício para a capacitação;
  5. Assegure que essa aprendizagem será aplicada no dia a dia;
  6. Defina os principais indicadores de desempenho;
  7. Avalie os resultados finais.

Essas etapas ainda podem variar de acordo com a empresa, tema do treinamento ou modelo de programa utilizado. Para alcançar os objetivos do programa, concentre-se nessas etapas e, se achar necessário, acrescente novos passos.

Os principais tipos de treinamento e desenvolvimento

O modal é o tipo de política que será utilizada para capacitar o colaborador. A escolha do melhor modal pode variar de acordo com o perfil dos profissionais, o orçamento disponível e a cultura empresarial. Dentre os programas de capacitação, os principais são:

  • in company: treinamento presencial e dentro da empresa;
  • out company: treinamento presencial e fora da empresa, como um workshop;
  • a distância: capacitações realizadas de forma virtual;
  • colaborativo: onde alguém da própria equipe desenvolve o treinamento;
  • gamificação: aplicação de jogos empresariais para aprendizagem.

Atualmente, é possível destacar dois tipos de capacitação nas empresas: o treinamento à distância e o modo colaborativo. Com o crescimento de cursos de educação à distância hoje, é possível proporcionar uma ótima experiência aos profissionais, com conteúdo de qualidade, profissionais atualizados e baixo custo. Já o treinamento colaborativo, permite que os profissionais da empresa compartilhem suas habilidades específicas com os demais, o que aproxima os colaboradores e reduz os custos.

O uso de jogos no processo de aprendizagem

Uma das maiores novidades é a aplicação de jogos empresariais para o aprendizado, técnica conhecida como gamificação. Essa técnica já é bastante aplicada em algumas das instituições de ensino mais renomadas, mas ainda é considerada uma inovação nas empresas.

A grande vantagem da gamificação é a quebra dos padrões para o aprendizado. Nessa modalidade ninguém fica parado, pois é preciso colocar a mão na massa para acumular pontos e vencer o jogo. Assim, todo o processo fica mais dinâmico e descontraído.

Veja algumas dicas para construir capacitações em forma de games empresariais:

  1. Construa uma competição saudável entre os membros da equipe;
  2. Defina as regras do jogo;
  3. Implemente elementos lúdicos (pontuações, rankings, premiações simbólicas);
  4. Incentive o trabalho (e aprendizado) em equipe;
  5. Premie os melhores resultados.

Essa é uma forma de inovar no treinamento, fugindo dos padrões mais tradicionais e, muitas vezes, indesejados pelos funcionários. Também é uma forma de economizar recursos, afinal, tudo pode ser feito dentro da empresa, entre os membros da equipe.

Os principais indicadores de desempenho

Por fim, é preciso entender que mensurar o sucesso do treinamento é crucial. Assim, é possível que a diretoria da empresa perceba os resultados de uma boa política de treinamento e desenvolvimento, o que pode trazer mais recursos financeiros para o futuro e ajudar a identificar erros e implementar melhorias.

Os indicadores podem variar de acordo com a capacitação. Se o treinamento foi sobre técnica de vendas, por exemplo, avalie o índice de efetividade das vendas antes e depois do treinamento. Já um treinamento sobre atendimento ao cliente, pode ser avaliado conforme o grau de contentamento e fidelidade do público-alvo antes e depois do processo.

Alguns dos indicadores mais importantes são:

  • percentual de colaboradores treinados;
  • retorno obtido com o investimento (ROI);
  • valor médio gasto no treinamento;
  • percentual de funcionários presentes;
  • nível de satisfação dos colaboradores com o treinamento;
  • horas de treinamento por funcionário;
  • lucro por empregado (antes e depois dos treinamentos).

Agora que você já entende a diferença entre treinamento e desenvolvimento, sua importância para a empresa, os principais passos para o planejamento, os principais tipos e indicadores-chave de desempenho, comece a colocar um plano de capacitação em funcionamento! Assim você entende na prática como tudo isso funciona.

Gostou do nosso conteúdo? Pronto para continuar aprendendo? Então aproveite para descobrir como a avaliação em 360 graus pode ser usada na gestão de pessoas. Saiba mais neste artigo!

NOVIDADES DO BLOG

Receba semanalmente as novidades do blog e transforme o seu recrutamento!

Continue lendo:

Teste palográfico: entenda o que é e por que utilizá-lo

Para uma boa contratação de funcionários, é importante avaliar não apenas as competências técnicas, mas também as características individuais e de personalidade para entender se o profissional é realmente o  continue lendo »

Como reduzir o turnover precoce nas empresas?

Reduzir turnover é uma preocupação que muitas empresas compartilham, principalmente as que estão começando sua caminhada. Isso porque a alta taxa de rotatividade dos colaboradores pode ser um obstáculo maior  continue lendo »

Rescisão de contrato de trabalho: como funciona?

A rescisão de contrato de trabalho com um colaborador é um processo delicado, que envolve várias regulações e deve ser feito com muito cuidado, para que não ocorram problemas como  continue lendo »

O que é acidente de trabalho e quais os direitos de quem sofre?

Muito se fala sobre acidente de trabalho, porém, nem todas informações divulgadas são confiáveis. De acordo com o artigo 19 da Lei no 8213/91, “acidente de trabalho é o que ocorre  continue lendo »

Inteligência Artificial no Recrutamento e Seleção: Como esse assunto será abordado no 2º Kenoby Talks?

Sempre muito presentes nas tramas de ficção científica, a Inteligência Artificial passa a garantir cada vez mais o seu espaço nas discussões e, até mesmo, na vivência de grande parte  continue lendo »

Avaliação 360: saiba como funciona e como aplicar

Avaliar o desempenho dos profissionais, seus pontos positivos e onde podem melhorar é uma necessidade de todas as empresas. Mas nem sempre esse processo é feito de maneira que possa  continue lendo »