26/1/2022

Como a tecnologia é aplicada nas etapas do processo seletivo?

Como a tecnologia é aplicada nas etapas do processo seletivo?

Existem muitas tecnologias úteis ao processo seletivo, como plataformas de entrevista por vídeo, páginas de carreira e softwares de seleção. Veja, agora, em quais etapas da seleção aplicá-las.

O processo de recrutamento e seleção (R&S) tem passado por grandes mudanças. Existem muitas tecnologias que agregam agilidade, precisão e conectividade ao R&S, resultando em benefícios variados. Por isso, é crucial contar com a tecnologia no processo seletivo.

A questão é: quais tecnologias são essas e quando elas podem ser aplicadas? Em resumo, existem muitas ferramentas úteis, como sistemas para entrevista em vídeo, softwares para automação da triagem de currículo e páginas de carreira, além de plataformas para R&S que integram vários desses sistemas em um único lugar.

Ao longo dos próximos tópicos, ganhamos profundidade no tema. Explicamos como aplicar a tecnologia no processo seletivo, potencializando cada etapa existente. Boa leitura!

Atração de talentos

O recrutamento e seleção é um processo pontual, feito na medida em que exige-se mais pessoas para compor equipes de trabalho. A atração de talentos, por sua vez, é um processo contínuo, objetivando tornar a organização cada vez mais atraente aos profissionais.

Por isso, vamos começar pela atração! Muitas empresas investem na construção da marca empregadora, além da melhor experiência no trabalho, tendo por intuito tornar a companhia mais convidativa aos talentos. Isso exige uma importante tecnologia: a página de carreira.

Pense na página de carreiras como a página web que fornece informações sobre a empresa, suas vagas e atuais profissionais. Muitas vezes chamada de "trabalhe conosco", conta com itens como missão da empresa, cultura organizacional, liderança, vagas abertas e benefícios disponíveis.

Requisição de pessoal

A primeira etapa efetiva do processo de R&S costuma ser a requisição de pessoal. Nela, o líder imediato informa ao RH sobre a vaga disponível, bem como as competências mínimas ao seu novo ocupante. Assim, envia uma espécie de requisição de força de trabalho.

Essa requisição pode ser feita por muitos canais, inclusive, com materiais impressos. O ponto é que o uso da tecnologia pode torná-la muito mais rápida, fluida e precisa, visto que fornece um meio dinâmico para que líder e RH estabeleçam comunicação e troquem dados.

Aqui, é indispensável contar com um software de R&S. Essa tecnologia potencializa todo o fluxo de trabalho de aquisição de talentos, começando pela requisição de pessoal, pois serve de "meio" para trocar de informações entre o líder imediato e o departamento de RH.

Recrutamento

Feita a requisição, é hora do RH atuar na busca pelo perfil de profissional desejado. Inicia-se, então, o recrutamento. Esse é um processo de chamada, afinal, envolve a divulgação da vaga aberta e estímulo para que profissionais qualificados efetivem sua candidatura.

Existem muitas tecnologias que podem ser aplicadas no recrutamento, como a página de carreira, portais de vagas e redes sociais corporativas. São, na realidade, meios digitais para que empresa e candidatos estabeleçam uma comunicação inicial, que pode progredir.

É importante dar uma atenção especial às redes sociais, pois elas podem ajudar facilitando todo o processo, de modo que o anúncio da vaga alcance um maior número de talentos. Existem muitas redes disponíveis, como o Instagram e o Facebook, além do próprio LinkedIn.

Triagem dos candidatos

Um bom recrutamento resulta em diversas candidaturas. Você pode receber centenas ou até milhares de currículos. Todavia, pode ser totalmente demorado analisar manualmente cada currículo recebido — e aqui entra outra importante tecnologia: a automação da triagem.

Bons softwares de RH permitem automatizar a triagem inicial, tendo em vista parâmetros estabelecidos pelo selecionador — como experiência prévia, segundo idioma, graduação ou alguma certificação específica. Desse modo, cria-se um filtro inicial à análise dos perfis.

Essa automação resulta em benefícios aos talentos e ao RH. Os talentos podem contar com feedbacks mais ágeis sobre sua continuidade (ou não) no processo de seleção. O RH, por sua vez, pode dedicar seu tempo e energia às próximas etapas da aquisição de talentos.

Aplicação de testes de seleção

Após a triagem inicial dos melhores profissionais, inicia-se uma série de testes, tendo por intuito conhecer melhor cada um dos candidatos. Aqui, analisam-se competências técnicas e comportamentais, além do chamado fit cultural entre o profissional e a empresa.

Na prática, existem muitas avaliações úteis. Por exemplo, testes de perfil comportamental, exercícios de raciocínio lógico e exames de proficiência em determinadas áreas. Todas estas avaliações podem ser melhorados com a ajuda de ferramentas de people analytics.

Grosso modo, people analytics é uma tecnologia no rh dedicada à análise de dados das pessoas, permitindo uma melhor compreensão das suas competências técnicas e comportamentais. Boas tecnologias de people analytics automatizam a geração de relatórios robustos.

Entrevista de seleção

A entrevista é uma importante aliada do processo seletivo e pode ser aplicada em várias etapas da seleção. Não é difícil que um processo de R&S conte com mais de uma entrevista com candidatos, muitas vezes envolvendo o superior imediato do cargo (líder).

Felizmente, a entrevista também pode contar boas tecnologias. Hoje é bastante comum o uso de entrevista por vídeo, o que gera flexibilidade para candidatos e selecionadores. Além disso, permite que RH aproveite melhor seu tempo e contate mais talentos.

Vale destacar que tecnologias de entrevista por vídeo contam com ferramentas adicionais, como módulos de gravação, transcrição de áudio e até reconhecimento facial — permitindo, por exemplo, que o RH identifique emoções, como ansiedade, nervosismo e felicidade.

Feedback aos candidatos

O processo de R&S envolve variados feedbacks. Por exemplo, ao informar ao profissional que conseguiu passar de fase ou que não foi aprovado, engajando-o a tentar novamente no futuro. Essa comunicação é crucial para orientar e melhorar a experiência do candidato.

Todavia, é difícil enviar estes feedbacks manualmente, redigindo-os e disparando-os para cada candidato. Então, novamente, a tecnologia ganha espaço. Um bom software de seleção automatiza o envio dos feedbacks em tempo real, somando mais agilidade e qualidade à comunicação.

Veja, agora você está por dentro do tema. O processo de aquisição de talentos pode ser algo longo e complexo, composto por várias etapas. Por isso, é crucial contar com a tecnologia no processo seletivo, como redes sociais, páginas de carreira e sistemas de entrevista por vídeo.

Uma das principais tecnologia é o software de recrutamento e seleção, como o Kenoby, que integra muitas soluções em um único lugar. Esta ferramenta potencializa o gerenciamento das vagas e a comunicação com os candidatos, também permite a automação de etapas, a análise dos candidatos e o monitoramento dos resultados. Então, é uma solução completa.

Gostou do nosso artigo, certo?! Aproveite, então, para entrar em contato conosco e entender como o Kenoby pode potencializar seus resultados em seleção. Vamos lá!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)