6/11/2020

Como implementar um RH estratégico na minha empresa?

Como implementar um RH estratégico na minha empresa?

Nos últimos anos, muitos artigos propuseram-se a falar do RH estratégico, mas poucos explicaram como ele realmente funciona e como pode ser aplicado na empresa. Por causa disso, decidimos esclarecer o tema e tirar suas principais dúvidas.

Quer entender um pouco mais da estratégia na gestão de pessoas e descobrir como isso pode ser implementado na sua empresa? Continue a leitura do nosso artigo!

O que é RH estratégico?

É preciso lembrar que o RH nem sempre foi visto como estratégico ou essencial. Quando as indústrias surgiram, na primeira revolução industrial, as próprias pessoas eram vistas como ferramentas de trabalho, com muitas obrigações e poucos direitos.

Nesse contexto, o RH surgiu para dar equilíbrio à equação empregado-empregador, objetivando o benefício mútuo. Esse era um setor mais operacional, que cuidava de questões trabalhistas – comumente chamado de Departamento Pessoal (DP). Com os avanços do mercado, o RH precisou de funções mais modernas e estratégicas.

Hoje, o RH estratégico é essencial a toda empresa. Ele lidera as pessoas de maneira estratégica, atraindo, desenvolvendo e direcionando talentos com foco em resultados específicos. Infelizmente, muitas empresas ainda não tiram total proveito dele.

Grosso modo, é possível afirmar que RH estratégico é o setor que focaliza o desenvolvimento humano e organizacional, utilizando-se de modernas práticas para que o negócio e os próprios talentos cresçam. Ele funciona como um elo entre os profissionais e a empresa, garantindo que os interesses de ambos sejam atendidos na medida do possível.

Antes de continuar, aproveite para baixar nossa apresentação mensal de indicadores de RH e ajude a área a ser cada vez mais estratégica.

Qual a diferença do RH estratégico e o tradicional?

Dúvida comum é a diferença entre o RH estratégico e o tradicional, mas é algo que pode ser facilmente entendido. As principais diferenças estão na forma como as pessoas são vistas e nos métodos de gestão. Ao entender isso, você pode dominar o tema.

O RH tradicional enxerga as pessoas como recursos, assim como os materiais e a própria finança da empresa. Logo, as pessoas devem ser gerenciadas para garantir uma melhor performance organizacional. O RH estratégico, no entanto, enxerga os profissionais como “pessoas”, dotadas de forças, fraquezas e interesses pessoais.

Essa diferença de visão muda muita coisa. Quando o RH entende as motivações dos profissionais, consegue oferecer induzimentos realmente funcionais (que nem sempre são financeiros) e garantir que todos, do topo à base, fiquem engajados e envolvidos.

Isso também muda o método de gestão. Olhar as pessoas como recursos influi na utilização de métodos mais operacionais, como a contratação, a manutenção e o desligamento do quadro de trabalho. Por outro lado, ao enxergar pessoas, o RH atua de maneira estratégica, objetivando conhecê-las e aproveitá-las em pontos-chave.

Diferente do RH tradicional, o estratégico envolve-se muito mais com objetivos, indicadores-chave de desempenho, novos métodos de gestão e tecnologias de ponta. Portanto, tem maiores chances de alcançar ótimos resultados e beneficiar a empresa.

Como implementar um RH estratégico na empresa?

Não há um passo a passo que deva ser rigorosamente seguido para mudar o status quo do RH e transformá-lo em estratégico. No entanto, alguns pontos merecem atenção e, na medida do possível, eventuais melhorias. Confira, agora, os principais.

Conheça bem os atuais resultados

Um dos principais pontos é conhecer os atuais resultados da gestão de pessoas. Por exemplo, qual o nível de assiduidade da equipe? Qual a rotatividade no quadro de trabalho? Qual a satisfação dos profissionais? Sem números reais e relacionados ao RH, é muito difícil agir estrategicamente.

Existe um grande número de indicadores-chave de desempenho, então é preciso conhecê-los e verificar como calculá-los. Assim, você terá uma base sistêmica para atuar e poderá definir objetivos desafiadores e táticas realmente funcionais ao crescimento.

Tenha metas claras para o futuro

Imagine o setor de vendas: ele tem metas semanais, anuais e trimestrais. Isso garante o alinhamento da equipe e o foco em resultados específicos. No RH também deve ser assim, com metas claras para o futuro e progresso de toda a empresa.

Para tanto, o ideal é definir metas no formato SMART, que sejam específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e com tempo bem definido. Elas podem estar relacionadas à redução de acidentes, ao aumento da produtividade, à satisfação dos talentos ou à assiduidade no trabalho. Boas metas servem de bússola aos talentos.

Conte com a ajuda da tecnologia

Nos dias atuais, é quase impossível construir um RH estratégico sem a boa ajuda da tecnologia. Muitos dos processos de RH dependem da tecnologia para que sejam bem-sucedidos, por exemplo, o recrutamento e seleção (R&S) de novos profissionais.

No R&S, boa parte das vagas são anunciadas por meio das redes sociais ou páginas de emprego, e todo o processo é gerenciado por softwares específicos. Até a triagem dos currículos é automatizada (isso é, baseada em filtros pré estabelecidos), garantindo maior agilidade e eficácia ao setor de Recursos Humanos.

  • Conheça as HR Techs e entenda como elas estão revolucionando o setor.

Contrate pessoas alinhadas à cultura organizacional

O RH tradicional contrata as pessoas com base nas suas competências técnicas, mas isso não é suficiente. Também é preciso observar os valores de cada indivíduo, objetivando contratar aqueles que tenham aderência à cultura e ao time de trabalho.

Esse processo, chamado de fit cultural, está presente nas empresas mais bem-sucedidas. É sempre bom lembrar que competências técnicas podem ser aprimoradas, mas competências comportamentais (como integridade, compromisso e espírito de equipe) são mais difíceis e devem acompanhar o candidato desde o princípio.

Busque por novos métodos de gestão

Novos métodos de gestão surgem a cada momento, e muitos podem ajudar a melhorar a liderança de pessoas e tornar o RH mais estratégico. Por essa razão, é preciso estar aberto às novas possibilidades e buscar continuamente melhorar o que é feito.

Para o treinamento, é possível usar a gamificação e tornar a aprendizagem muito mais lúdica. Nas reuniões, você pode usar técnicas de brainstorming para extrair criatividade da equipe. No recrutamento, o fit cultural pode ser usado para integrar pessoas com valores próximos aos da empresa. Enfim, são várias as possibilidades.

Quais os benefícios de contar com um RH estratégico?

Existem muitos benefícios ligados ao RH estratégico, tanto para a empresa quanto para os profissionais. É possível que a atração e a retenção de talentos sejam otimizadas, assim como os resultados operacionais e financeiros do exercício. Isso resulta em um empreendimento mais próspero e competitivo, capaz de superar seus competidores.

Além desses, veja mais outros benefícios adiante!

Aumenta a atração de talentos

Encontrar bons profissionais é mais difícil do que parece. Um recente estudo veiculado pelo G1 mostra que, pelo menos, 88% dos executivos considera desafiador encontrar mão de obra qualificada — um índice elevado e que resulta em custos altos com contratação.

O RH estratégico ajuda a superar esse desafio, fazendo com que mais talentos procurem a empresa. Isso ocorre por, no mínimo, duas razões:

  • reforça a marca empregadora da empresa;
  • transforma os atuais empregados em promotores da marca, estimulando-os a recomendar o local de trabalho para seus amigos e familiares.

Reduz custos não estratégicos

Há muitos custos ligados à falta de "tato" do RH. Por exemplo, se um mau profissional é contratado, ele logo precisará ser desligado — o que resulta em perda de tempo e de dinheiro. E mais, será necessário iniciar um novo processo de seleção, investindo novos recursos.

O RH estratégico ajuda a eliminar esses custos que não são estratégicos comumente provenientes de erros ou atividades que nunca deveriam ter sido feitas. Isso implica em um setor mais "enxuto", assim como em uma empresa mais saudável financeiramente.

Elimina erros, falhas e acidentes diários

Ao longo do expediente, há uma série de tarefas operacionais que podem resultar em erros e até acidentes graves, promovendo prejuízos aos profissionais e à organização. Esses erros e acidentes devem ser evitados tanto pela segurança quanto pela fluidez do trabalho.

Novamente, o RH estratégico é uma solução. Ele ajuda a delimitar os processos diários, implementar programas de treinamento, melhorar a comunicação interna e maximizar o nível de segurança no trabalho. Assim, o número de problemas diários tende a diminuir.

Aumenta o desempenho operacional diário

Dados veiculados pela Harvard Business mostram que empresas com boas práticas de RH apresentam um desempenho cerca de 51% superior à média do mercado. Em outras palavras, elas conseguem obter resultados mais animadores que seus respectivos concorrentes.

Esse crescimento é reflexo de uma série de fatores, como profissionais mais engajados, times de trabalho mais bem estruturados e líderes mais consistentes. Por outro lado, caso a empresa conte com um modelo de RH obsoleto, pode ver seus números minguarem.

Melhora o clima organizacional

Pense no clima organizacional como uma espécie de atmosfera do ambiente de trabalho. Se essa atmosfera é negativa, pode gerar um clima tóxico e prejudicar as relações interpessoais e o trabalho diário. Por outro lado, quando é positiva, promove entusiasmo e bem-estar.

O RH estratégico enxerga o clima organizacional como um recurso que pode (e deve) ser usado em seu benefício. Para tanto, conta com uma série de estratégias, como ações de endomarketing, team building e técnicas de gamificação de processos, além do estímulo ao bem-estar dos funcionários por meio de práticas de esportes e ginástica laboral.

Otimiza a retenção de talentos

É importante falar sobre a atração de talentos, mas sem deixar de lado a retenção. Tenha em mente que se profissionais talentosos são contratados, mas não passam muito tempo na empresa, há algo de errado. Além disso, a alta rotatividade gera uma enorme quantidade de custos com demissão e reposição e ainda afeta a imagem da empresa no mercado.

Há uma série de práticas do RH estratégico que podem resultar em retenção. Por exemplo:

  • criação de um plano de carreira;
  • oferta de benefícios flexíveis;
  • uso de recompensas financeiras;
  • criação de um melhor clima organizacional, entre outras.

Amplia a performance financeira da empresa

Toda empresa precisa de bons resultados financeiros. Se há prejuízos seguidos nesse aspecto, os investidores podem ficar desestimulados e esse ser o fim do negócio. Felizmente, com boas práticas de RH, é possível melhorar os resultados do exercício, gerando mais lucro líquido.

O motivo é simples: se, por um lado, o RH reduz uma série de custos, por outro promove ganho em termos de produtividade e aproveitamento de recursos. Por exemplo, elimina os gastos com processos demissionais e aumenta a produtividade do time. Isso, no fim do exercício, pode ser traduzido em termos financeiros, gerando ganhos adicionais ao negócio.

Melhora o atendimento aos clientes

O bom atendimento aos clientes é essencial e pode determinar o sucesso (ou fracasso) de um negócio. Se os funcionários não atendem com qualidade, os clientes podem migrar para a concorrência. Se isso se repetir por muitas vezes, a empresa tem um grave problema.

A boa notícia é que a gestão estratégica de RH melhora o atendimento diário. Os profissionais passam a ser mais bem atendidos pela empresa e por seu líder e, como consequência, oferecem um atendimento melhor aos clientes finais. Nesse caso, há uma espécie de efeito cascata, no qual os talentos são cuidados e cuidam dos clientes. Assim, a empresa sai ganhando.

Quais são os erros do RH estratégico?

Até aqui você já aprendeu o que é RH estratégico, como adotá-lo e quais os benefícios disso. Agora vamos indicar os principais erros que podem ser cometidos e como é possível evitá-los, de modo a garantir um resultado mais consistente.

Complicar demais o que é simples

No intuito de construir algo estratégico, muitos gestores começam a complicar demais o que é simples. Nesse sentido, podem passar a adotar vários métodos, ferramentas e tecnologias que não geram benefícios adicionais à empresa ou aos profissionais, apenas mais trabalhos.

Um ótimo exemplo é o código de conduta. Ele pode ser feito com apenas algumas páginas, sem rodeios. Se o gestor opta por criar um código longo e detalhado, com várias regras, por melhor que seja a sua intenção, isso pode mais inibir do que estimular os talentos.

Deixar de lado as evidências diárias

Um bom gestor de RH é um líder. Ele sabe como lidar com as pessoas e extrair bons resultados. No entanto, se esse gestor confia demais na sua intuição e deixa as evidências em segundo plano, como se elas não importassem, está cometendo um grave erro.

Imagine, por exemplo, que o número de candidatos por vaga aberta é baixo. O líder, sem se importar em levantar dados para descobrir a razão do baixo desempenho, simplesmente ignora as evidências e espera que, no médio prazo, o resultado melhore. Isso pode afetar de muitas formas a empresa e não é compatível com um modelo de RH estratégico.

Tratar as pessoas como meros recursos

Por fim, é preciso ter cuidado para não tratar as pessoas como meros recursos. Os profissionais devem ser cuidados como parte da "família". Também devem ter uma boa perspectiva de crescimento dentro da empresa, pois assim serão mais produtivos.

Agora você está por dentro do assunto. Como pode observar, o RH estratégico é crucial ao sucesso da gestão de pessoas e da própria empresa. As pessoas devem ser agrupadas em equipes de alta performance, lideradas e motivadas para que resultados fora da curva sejam alcançados. Para tanto, vale contar com a tecnologia e com bons métodos gerenciais.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para entrar em contato conosco e descobrir como podemos ajudar a implementar um RH estratégico na sua empresa. Vamos lá!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)