27/7/2020

Gestão de pessoas: O que é e como fazer do jeito certo

Gestão de pessoas: O que é e como fazer do jeito certo

A gestão de pessoas é o conjunto de habilidades, técnicas, métodos e práticas que são empreendidos de forma coordenada e planejada para gerenciar colaboradores e as variáveis associadas à equipe.

A proposta é maximizar as habilitações e possibilidades dos profissionais, gerando o direcionamento e o incentivo adequado para a boa produtividade. Ao gerenciar recursos humanos de maneira efetiva e com qualidade, a empresa alcança uma série de benefícios.

A medida possibilita torná-la mais competitiva e elevar os resultados para patamares superiores. Preparamos este conteúdo especial com diversas informações sobre gestão de pessoas, mostrando dicas, pilares e boas práticas para você ficar expert no tema. Continue acompanhando e aprenda mais sobre o assunto!

O que é gestão de pessoas?

A gestão de pessoas é o processo de liderar os colaboradores, o que envolve fornecer direcionamentos, promover incentivo e oferecer capacitação para que eles atuem com eficiência no dia a dia.

O assunto não é de responsabilidade única do RH, mas de toda a liderança da organização. Ou seja, cada gestor tem o papel de conduzir seus colaboradores fazendo a gestão na prática. Nesse contexto, a gestão de pessoas tem o papel de fornecer orientações e uma base adequada para a boa produtividade.

A proposta é somar condições favoráveis para a qualidade e o bom desempenho. O conceito de gestão de pessoas passou por algumas mudanças ao longo dos anos.

De fato, gerenciar colaboradores evoluiu de uma visão mecanicista com foco exclusivo no rendimento para um olhar que dedica atenção à produtividade associada a contextos favoráveis de trabalho. Essas condições envolvem desde o ambiente físico às variáveis psicossociais, como a convivência no grupo.

Quais são os pilares da gestão de pessoas?

A gestão de pessoas se sustenta em alguns pilares importantes para se consolidar como uma prática, e esses princípios se associam e influenciam todas as medidas desenvolvidas no processo. Vamos explicar, a seguir, quais são as bases desse gerenciamento. Acompanhe!

Motivação

Motivação é uma questão muito relevante para as empresas, sendo influenciada tanto por aspectos individuais quanto externos. Isso significa que a empresa não tem o total controle da motivação do colaborador.

Esse envolvimento depende também do profissional e da relação que ele tem com a função. A solução não é colocar todo o peso da motivação no trabalhador, mas criar condições que favoreçam a dedicação e o engajamento. Para isso, um ambiente estimulante, amigável, com boas condições de trabalho é essencial.

A saúde ocupacional e políticas adequadas de benefícios também são importantes. Toda a dinâmica de trabalho e os contextos em que as equipes se inserem devem ser desenvolvidos de forma favorável, associando qualidade de vida e produtividade.

Comunicação

Processos de comunicação são decisivos para o bom desempenho de negócios. Entretanto, ruídos e entraves na troca de informações estimulam equívocos e dificuldades no dia a dia dos colaboradores, implicando também perda de qualidade e falta de motivação.

Por isso, é necessário criar formas construtivas de comunicação, usando tecnologias eficientes e promovendo o diálogo de forma coerente. Uma boa comunicação incentiva a troca de experiência, a cooperação, o diálogo e o desenvolvimento de alternativas construtivas para os desafios que surgem no cotidiano.

Trabalho em equipe

Trabalhar em equipe é uma tarefa desafiadora porque são muitas formas distintas de pensar e de realizar as tarefas.

Sabemos o quanto uma equipe funcional e dinâmica pode gerar excelentes resultados. Para isso, o RH e as lideranças têm a importante função de criar estratégias para convergir esforços e promover a conexão entre os profissionais.

Nesse sentido, é necessário aplicar medidas para estimular o diálogo, desconstruir conflitos e promover uma comunicação não violenta. Soluções para as dificuldades podem ser construídas em conjunto, sendo muito importante apostar no potencial dos profissionais para o desenvolvimento de alternativas.

Conhecimento e competência

Conhecimento e competências contribuem para um bom fluxo de trabalho e a criação de soluções viáveis e positivas. Muitos dos problemas do dia a dia envolvem dificuldades diversas, demandando criatividade.

Porém, esse potencial deve se apoiar em uma base sólida de entendimento do negócio, para a tomada de medidas construtivas. Cada colaborador conta com um amplo arsenal de saberes obtidos na formação, em outras experiência profissionais e no dia a dia do trabalho. Por isso, a empresa deve se preocupar em selecionar bem e reter seus talentos, pois a rotatividade elevada também resulta em perda de saber.

Dessa forma, gerenciar conhecimento e competências envolve estimular o compartilhamento de aprendizado e fazer recrutamento e seleção da forma mais efetiva possível.

Treinamento e desenvolvimento

Boas estratégias para as dificuldades do dia a dia são desenvolvidas com criatividade e conhecimento.

Isso significa que a educação corporativa é indispensável para garantir a construção de saberes apropriados que sustentam atitudes efetivas. O aprendizado contribui para motivar e gerar práticas que maximizam os resultados da empresa.

Quais são as principais boas práticas em gestão de pessoas?

Mostramos quais são os pilares que sustentam a gestão de pessoas na organização. Agora, vamos indicar as principais boas práticas na área para potencializar os resultados e contribuir para um ambiente corporativo positivo. A seguir, aprenda mais sobre o assunto!

Ajude a promover um bom clima organizacional

O clima organizacional tem uma grande influência sobre a produtividade e a qualidade das relações de trabalho. Vínculos positivos, cooperação e disposição para ajudar são alguns elementos que geram ótimos resultados.

Da mesma forma, é essencial perceber que desentendimentos, exclusões e competição tendem a ser desfavoráveis para o ambiente interno.

A gestão de pessoas tem a valiosa missão de zelar pelo bom relacionamento profissional, ajudando na mediação de conflitos, na coordenação de equipes e na promoção de uma boa comunicação. Isso contribui para criar interações positivas e incentivar a ajuda mútua.

Implemente uma cultura organizacional forte

A cultura organizacional é moldada pelos fundadores da empresa. E a gestão de pessoas ajuda na implementação, na disseminação e no fortalecimento dessa cultura.

Mais do que um conjunto de princípios no papel, ela precisa estar no dia a dia dos colaboradores, como uma constante referência para as atitudes. Uma cultura organizacional forte promove coesão, melhora o clima organizacional e facilita o recrutamento e a seleção.

Promova uma boa comunicação na empresa

Uma boa comunicação contribui para melhorar o fluxo de trabalho e estimular relações profissionais mais construtivas.

O cuidado com isso deve envolver tanto a aplicação das tecnologias adequadas quanto a busca por um padrão comunicacional de clareza e constante feedback. Isso facilita a circulação da informação na empresa.

Como fazer a gestão de pessoas do jeito certo?

O processo de gestão de pessoas envolve desafios diários. As lideranças e os profissionais de RH precisam conhecer bem a equipe e ter boas informações sobre as estratégias ideais para potencializar o time. Vamos mostrar diversos passos para promover essa prática com sucesso. Confira!

Implemente uma cultura de feedback

Desde muito cedo, mesmo sem perceber, quase todos dão e recebem feedbacks, seja dos pais, dos professores ou dos amigos da faculdade.

Na empresa, porém, o tema fica um pouco mais complexo e, por vezes, é deixado em segundo plano, sem muita atenção. Muitos líderes têm medo de dar um retorno aos funcionários e serem mal vistos ou, pior, criar inimizade com algum deles.

Outros não sabem bem como o processo funciona e também não têm interesse em aprender, então deixam de lado. O feedback é a prática de dar um retorno referente ao desempenho, de forma a alimentar atitudes de melhoria. A ideia é ajudar o profissional a crescer e promover uma cultura de aprendizagem constante.

O feedback pode envolver o reconhecimento dos pontos positivos e a pontuação de aspectos a serem melhorados, sempre com uma proposta construtiva. Essa devolutiva também ajuda a ampliar as perspectivas do profissional quanto ao desempenho. Isso porque o trabalhador tem a possibilidade de entender melhor o que é esperado dele.

Faça uma boa gestão de performance

Algumas tarefas dependem do empenho individual. Em uma pequena empresa, por exemplo, basta um faturista para emitir notas fiscais e entregá-las aos clientes.

Mas conforme os desafios evoluem, torna-se necessário uma evolução na gestão de pessoas. Para fazer o gerenciamento dos colaboradores, é preciso recrutar e selecionar as pessoas certas, além de integrá-las em boas equipes.

Para tal fim, o profissional de RH deve ter uma boa estratégia de atração, seleção e retenção de talentos. Mas que fique claro: grupos e equipes são diferentes. O grupo é um coletivo humano, várias pessoas em um mesmo lugar. A equipe de alta performance envolve propósito, confiança e habilidades complementares, assim como uma liderança exemplar.

Invista em práticas que motivam

As pessoas trabalham com maior empenho e qualidade quando estão motivadas, logo, geram mais vantagens à empresa. Sabendo disso, é essencial que quem pratica gestão de pessoas entenda a motivação humana.

Podemos dizer que a motivação caminha em conjunto com aspiração profissional do colaborador. Isso significa que é importante conhecer os profissionais e saber o que eles desejam para o futuro na carreira. Grande parte da motivação é proveniente dessa fonte.

Outra questão importante é que a empresa precisa dar uma retribuição apropriada pela dedicação da equipe. Além disso, deve definir medidas para criar um ambiente laboral satisfatório e saudável.

Mais do que nunca, há várias estratégias para entusiasmar as equipes. Por exemplo, pode-se iniciar uma sólida campanha de marketing interno ou oferecer aos colaboradores bonificações financeiras e até viagens de incentivo.

Previna a insatisfação no trabalho

A insatisfação é um sentimento profundo e perigoso, resultante de várias decepções. Os profissionais ficam insatisfeitos com a liderança ineficaz, a falta de qualidade ou de transparência no ambiente de trabalho, entre outros pontos fracos do negócio.

O problema é que, com a insatisfação, vêm uma série de outras adversidades, como o aumento da rotatividade, a redução da produtividade e o crescimento do absenteísmo (faltas e atrasos).

Juntos, esses problemas geram graves prejuízos para a organização. Em razão disso, a gestão de pessoas deve buscar corrigir as questões que estão gerando descontentamento. Os profissionais devem se sentir valorizados e seguros, além de respeitados por seus superiores. Vale, também, investir na melhoria do clima organizacional.

Modernize os processos de recursos humanos

Existe uma série de processos cruciais para as rotinas de gestão de pessoas, como o recrutamento e a seleção de talentos (R&S).

Para fazer um bom gerenciamento das equipes, é indispensável modernizar o R&S e apostar no que há de mais moderno em tecnologia.

Muitos gestores ainda não se deram conta, mas está ocorrendo uma transformação digital. Mesmo processos mais tradicionais, como a gestão de benefícios, estão sendo modernizados e digitalizados, o que permite o controle por meio de plataformas on-line.

Outras tecnologias permitem que algumas atividades sejam automatizadas e realizadas com pouca ou nenhuma interferência humana. Softwares de recrutamento já são capazes de fazer a triagem dos melhores candidatos com base nas competências.

Busque profissionais talentosos

A empresa é a soma dos seus profissionais. Em consequência disso, se há gente talentosa e bem liderada, o mais provável é que os resultados sejam espetaculares. Do diretor até o operário, todos podem atuar acima da média e construir um negócio bem-sucedido.

No entanto, essa realidade depende diretamente da atração e da contratação de talentos. A gestão de pessoas deve ser eficaz o suficiente para garantir que os melhores façam parte da empresa e continuem nela, com motivação, pelo maior tempo possível.

Para que isso ocorra, muitos profissionais de RH já investem em ações de marketing com foco no público interno. Inclusive, algumas empresas criam uma marca empregadora para chamar a atenção de quem é realmente bom e estimulá-lo no processo seletivo.

Promova avaliações frequentes por meio de indicadores

A atual gestão de pessoas assume uma enorme responsabilidade, sendo vital para o sucesso das equipes e dos negócios.

Por isso, ela precisa agir com o máximo de certeza, baseando suas escolhas em dados confiáveis. Assim, o mais recomendado é contar com um conjunto de indicadores-chave de desempenho diretamente ligados ao RH.

Nesse caso, conhecer os percentuais de assiduidade, turnover, produtividade dos times e satisfação faz toda a diferença. Esses fatores permitem uma gestão lúcida e acertada.

Sendo assim, mensure os resultados alcançados no último mês ou semestre, verifique se eles estão de acordo com o desejado e pense em como melhorá-los. Depois, transforme os indicadores em metas para o futuro, encorajando toda a equipe a alcançá-las.

As avaliações de desempenho, nesse contexto, também são ótimas oportunidades de aprendizagem e reciclagem de possibilidades.

Desafios da gestão de pessoas no mercado de trabalho

Um dos segredos para realizar uma gestão de pessoas eficiente é conhecer os maiores desafios que o mercado apresenta para a área e como superá-los. Acompanhe!

A tecnologia como inimiga da produtividade

Um desafio que as empresas têm encontrado em um mundo cada vez mais tecnológico é manter a produtividade dos colaboradores diante da utilização de aplicativos que roubam a atenção por mais tempo e em horários indevidos.

Há alguns anos, bloquear páginas na internet era eficiente. Entretanto, com a popularização dos smartphones, tal recurso perdeu a eficácia.

Além disso, trabalhar com o sistema de proibição em um mundo onde a flexibilização é o ponto alto da retenção de talentos pode ser um tiro no pé.

A solução, então, é confiar nos colaboradores, instituir métricas de produtividade e colocar as normativas para uso dos celulares pessoais no regimento interno.

Dessa forma, é possível sinalizar os colaboradores que estão passando dos limites baseado no manual do colaborador, sem abusos de ambas as partes e evitando grandes limitações.

Os custos dos programas de treinamento

Saber a importância dos programas de treinamento e desenvolvimento é uma coisa, colocá-los em prática é outra. Muitos gestores de pessoas esbarram em um problema comum para todos os setores: os custos. Oferecer programas de qualidade, que viabilizam o desenvolvimento constante, sem ultrapassar o orçamento é um grande desafio.

Uma alternativa encontrada por muitas empresas é de trazer o aprimoramento para dentro dela, investindo em um setor próprio e nas próprias plataformas de educação corporativa.

Essa alternativa permite que o conhecimento seja passado aos colaboradores de modo integrado ou de acordo com suas funções específicas, mas o resultado para a gestão de pessoas é o mesmo: redução de custos, qualidade na transmissão das informações e conteúdo de acordo com as expectativas e necessidades da empresa.

A inovação em conflito com a cultura interna

A inovação dentro da empresa pode ser desconfortável e preocupante para colaboradores mais tradicionais. As mudanças costumam gerar insegurança e, para muitos, modernizar ainda significa substituir os colaboradores pela modernização.

Por outro lado, se adequar às novas tendências do mercado é uma necessidade. Além de garantir vantagem competitiva, pode atrair talentos que farão a diferença para o desempenho da organização.

Para evitar conflitos, as mudanças podem acontecer gradualmente, de forma que não cause preocupação. O simples fato de disponibilizar horários mais flexíveis, acabar com a obrigatoriedade no uso de uniformes, ambientes descontraídos podem ser uma boa opção para iniciar a adaptação.

Quando o aprendizado duela com a produtividade

A capacitação é de extrema importância para a evolução da empresa, mas deve haver equilíbrio na hora de oferecer os treinamentos. Um colaborador que se ausenta de suas tarefas para um curso de capacitação diminui sua produtividade naquele momento, e nem sempre pode ser o momento mais adequado para isso.

Essa é uma tarefa que pode ser bastante complexa. Quanto maior a empresa, mais dificuldade a gestão de recursos humanos pode encontrar para disponibilizar os treinamentos no timing certo.

Além de investir na própria plataforma educação corporativa, que citamos anteriormente, é importante criar formas de acompanhar e controlar os programas disponibilizados, sem pressionar os profissionais e interferir de forma negativa nas atividades diárias.

Por que ficar atento a diversidade geracional no mercado de trabalho?

Assim como não há dúvidas de que as empresas estão competindo não só pelos clientes, mas também pelos melhores talentos do mercado, o conflito geracional no mercado de trabalho merece destaque nos guias de gestão de pessoas.

Chegamos em um momento onde os baby boomers, geração X, os millenials e a geração Z se encontram disputando as mesmas oportunidades — e sendo igualmente disputados pelas empresas. Há vagas que exigem o frescor dos mais novos. Outras, a experiência dos mais velhos.

A diversidade geracional tem seu bônus, mas também tem o ônus: os gestores precisam saber como lidar com conflitos e extrair o melhor desse mix de perfis para o negócio. Separamos algumas dicas para ajudar — e que são uteis para a gestão de pessoas no geral, não somente para lidar com essas diferenças.

Forme programas de mentoria

Os programas de mentoria são uma ótima alternativa para a transmissão do conhecimento dos colaboradores mais novos, uma vez que estes são mais impacientes e acabam tomando decisões imediatistas.

Inclusive, houve um boom de mentores no mercado ultimamente: os jovens estão em busca de aprender com aqueles que têm experiência, de forma objetiva e sem enrolação.

Devido a discrepância de idades a empresa estará unindo gerações e maneiras diferentes de enxergar um mesmo problema.

Trabalhe com as semelhanças

Nas atividades cotidianas da empresa, nem sempre são questões profissionais que estimulam a união do grupo. Na maioria dos casos, a compatibilidade e o envolvimento se dá por fatores sociais e culturais.

Independentemente da idade, todos possuem semelhanças. Identificá-las, estimular a convivência e o bom relacionamento entre os colaboradores pode se tornar um fator importante para integração, engajamento e até mesmo a produtividade.

Promova a troca de conhecimentos

É importante estimular a troca de conhecimento entre as gerações, mesmo que uma não se identifique com a outra.

Mesmo quando os mais novos acreditam que os mais velhos já estão ultrapassados, e os mais velhos acreditam que os mais novos são arrogantes e inexperientes, promover a troca de conhecimento deve ir além dos programas de mentoria.

Cabe ao gestor de cada área formar grupos que misturam todas as gerações para executar as tarefas, e conduza o andamento das atividades mantendo o clima organizacional e a troca de conhecimento e experiências. É tarefa do profissional do capital humano garantir que as lideranças tenham essa expertise.

Valorize as competências de cada geração

Ter várias gerações dentro de uma mesma empresa é algo muito importante, pois, cada um traz uma maneira de enxergar o mundo e vive as experiências profissionais, de vida e culturais de uma forma.

A gestão de pessoas deve enxergar isso e trabalhar para que as lideranças também vejam as pessoas dessa maneira. Assim, é possível extrair os aspectos positivos do grupo ao máximo e traçar um planejamento consistente para conquistar a satisfação do quadro de colaboradores, sua retenção e construir uma imagem positiva como marca empregadora perante ao mercado.

Ao entender o que é gestão de pessoas, podemos observar que existem várias práticas para realizá-la bem e garantir que os profissionais sejam liderados com alta qualidade. No fim das contas, todo o negócio é beneficiado, ganhando em imagem, eficiência e produtividade.

A gestão de pessoas facilita processos, ajudando a convergir esforços de maneira positiva para os profissionais e a empresa. Ela garante uma série de possibilidades, gerando melhores condições para a produtividade.

Um dos processos-chave da gestão de pessoas é o recrutamento e seleção, e você pode potencializar suas seleções com o apoio da tecnologia! A Kenoby conta com um software inteligente de R&S. Por isso, entre em contato com a gente para conhecer melhor os nossos serviços!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)