3/2/2022

O segredo do mapeamento de perfil comportamental eficaz

O segredo do mapeamento de perfil comportamental eficaz

Nos dias de hoje, embora a importância do fit cultural já seja levada em consideração ao longo dos processos de recrutamento e seleção (R&S) pela maioria das empresas, ainda há aquelas que insistem em admitir os profissionais que integrarão o seu quadro de pessoal exclusivamente com base no conhecimento técnico necessário para a posição em aberto. Ou seja, em casos assim, os recrutadores "esquecem" que o comportamento, em boa parte das vezes, é justamente o que causa o desligamento, voluntário ou não, dos funcionários.

A grande verdade é que é fundamental conhecer melhor os candidatos sob avaliação ao longo das etapas de uma seletiva, avaliando, além do know-how, como cada um deles reage diante de determinadas situações que, geralmente, são comuns ao cotidiano do cargo pleiteado. Desse modo, torna-se muito mais fácil a tomada de decisões e selecionar a pessoa mais adequada à vaga, aquela que representa o "match" perfeito.

A partir desse entendimento, é possível compreendermos mais facilmente o quão relevante é o mapeamento de perfil comportamental, que será o tema de que trataremos neste post. Quer descobrir o seu conceito, os principais desafios a serem superados e outras informações igualmente pertinentes? Continue a leitura!

O que se pode entender por mapeamento de perfil comportamental?

Em termos bastante simples, o mapeamento de perfis comportamentais é um processo que viabiliza que os recrutadores que estão à frente de um processo seletivo para o preenchimento de uma vaga em aberto identifiquem os padrões de conduta dos candidatos e conheçam o perfil de cada um. Geralmente, para alcançar esse propósito, técnicas distintas são aplicadas, como entrevistas, testes psicológicos, dinâmicas em grupo etc.

Nesse caso, cada uma delas permite que sejam "simuladas" circunstâncias específicas a serem apresentadas aos profissionais que participam da seletiva, de modo que seja possível perceber como cada um deles reage em cada contexto. Na realidade, o "perfil comportamental" é basicamente isso: o modo como um indivíduo se comporta no cotidiano em situações mais ou menos corriqueiras.

Nesse sentido, inclusive, são quatro os perfis predominantes atribuídos aos candidatos ao longo do processo de R&S:

  • comunicador;
  • analista;
  • planejador;
  • executor.

Cada um aponta uma tendência de comportamento prevalecente, o que, via de regra, diz respeito a fatores diversos, como as habilidades socioemocionais e o desempenho profissional.

Quais são os desafios que comumente surgem durante o mapeamento de perfil comportamental?

Nesta seção, antes mesmo de darmos continuidade ao assunto, é imperativo ter algo em mente desde já: há determinados aspectos que são inerentes à personalidade de um indivíduo, porém existem outros que provêm da sua interação com a empresa. Então, no momento de avaliar as tendências comportamentais, não há como enxergar a relação entre as pessoas e a companhia como um fator à parte, afinal, elementos intervenientes — tanto internos quanto externos — estarão presentes.

Além disso, quando se recorre a ferramentas de assessments no intuito de reduzir eventuais interferências, na busca de resultados mais fidedignos, é necessário considerar que o comportamento humano não é algo que se possa dimensionar de modo preciso. O fato é que a avaliação das condutas de um indivíduo demanda muita prática, porém o reconhecimento de tendências comportamentais exige bem mais, tornando-se imprescindível ter diversos dados à mão e uma percepção altamente aguçada.

Entretanto, é possível dizer que reside justamente aí — na percepção — a maior parte dos desafios a serem contornados mapeando o perfil comportamental. Isso porque, durante uma avaliação, manter os nossos próprios critérios de julgamento fora do processo é uma tarefa difícil.

A bem da verdade, os instrumentos de assessments visam justamente minimizar, tanto quanto possível, os parâmetros de pessoas ao longo da análise, haja vista que os nossos sentidos podem sofrer influência de inúmeros fatores, como:

  • as experiências que vivenciamos;
  • o nosso sistema de valores;
  • as nossas crenças;
  • a nossa motivação e a nossa atitude;
  • a nossa cultura;
  • o nosso estado de espírito;
  • as nossas expectativas etc.

Por essa razão, a oportunidade de recorrer a ferramentas de assessments permite que tenhamos o apoio de "indicadores" eficientes e já preestabelecidos para a avaliação comportamental dos indivíduos. Basicamente, eles funcionam como "referências" para uma escala gradual das condutas esperadas, evitando parcialidades e deslizes de apreciação ou julgamento, prejudicando a objetividade do processo, como:

  • preconceitos ou prejulgamentos por parte do avaliador em relação à pessoa sob avaliação;
  • antipatia ou simpatia pelo candidato;
  • desconforto em participar do processo no papel de avaliador etc.

De que forma o assessment da Kenoby pode auxiliá-lo no processo de recrutamento e seleção?

Com o uso de testes psicométricos próprios e também de uma esteira de testes automatizados, a metodologia Kenoby objetiva viabilizar contratações otimizadas, de forma que sejam selecionados aqueles talentos que efetivamente contribuirão para o alcance dos objetivos da empresa. Nesse caso, são duas as fases que a compõem.

Na primeira, há o diagnóstico de cultura, que se entende como o conjunto de crenças, valores e normas compartilhadas que têm influência sobre a forma como os integrantes do quadro de pessoal se sentem, pensam e se comportam no contexto organizacional. Na segunda, há a avaliação do "match" entre o candidato e a vaga em aberto.

Para esse fim, ocorre a mensuração da distância entre as respostas dadas pelos profissionais e a cultura empresarial. Assim, diversos são os ganhos percebidos ao final do processo seletivo, como contratações mais acertadas e rápidas, melhora no ROI (Retorno Sobre o Investimento), alcance dos objetivos estratégicos corporativos etc.

A verdade é que, mais do que nunca, vivemos uma era de transformação digital, em que inovações surgem em um ritmo altamente acelerado, portanto ter a tecnologia como uma aliada no seu processo de R&S — especialmente no mapeamento de perfil comportamental — deixa de ser um diferencial, tornando-se uma necessidade. Nesse contexto, o Kenoby é um software inteligente de gestão de recrutamento e seleção que pode ajudar objetificando auxiliar as organizações a contratarem os melhores talentos para as suas vagas em aberto.

Que tal aproveitar a visita ao blog e conhecer um pouco mais da nossa solução? Faça uma avaliação gratuita da nossa plataforma e permita que o nosso time de especialistas demonstre como ela pode ser um passo determinante para a automatização das contratações na sua companhia!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)