6/8/2020

Saiba mais sobre o teste da atenção concentrada

Saiba mais sobre o teste da atenção concentrada

O teste de atenção concentrada segue as tendências mais atuais de avaliação e seleção de pessoas, porque seu objetivo é ir além das competências técnicas e das informações do currículo. Afinal, não basta contar com um especialista, pois as atitudes e o temperamento são igualmente importantes.

Nesse sentido, como mede a capacidade de foco contínuo, essa avaliação psicológica se torna uma ferramenta importante para decisões mais embasadas. Não à toa, seu uso é bastante difundido, sendo comum tanto em empresas, como no setor público.

Então, se você deseja realizar seleções e avaliações mais eficazes na sua empresa, continue lendo este conteúdo. A seguir, separamos as principais informações sobre o teste de atenção concentrada. Não deixe de conferir!

Por que devemos contar com testes comportamentais?

Os requisitos para o sucesso nos cargos de uma empresa não estão associados apenas às habilidades técnicas.

As pessoas trabalham em equipe, estão inseridas em ambientes onde pode haver conflito, precisam se relacionar com clientes e colaboradores, entre outras exigências.

Assim, as habilidades relacionadas a atitudes e comportamentos também são fundamentais. No dia a dia, é a combinação dos conjuntos de competências que resulta em um bom desempenho.

A conclusão, a partir daí, é clara. Da mesma forma como identificamos a qualificação técnica para projetar o sucesso ou insucesso em determinada função, precisamos olhar atentamente para atitudes e comportamentos.

Além disso, somos obrigados a buscar métodos de avaliação específicos para atender a essa nova característica. Daí, portanto, a importância dos testes psicológicos e comportamentais, como é o caso do teste de atenção concentrada.

O que é o teste de atenção concentrada?

As avaliações desse tipo medem a capacidade de manter continuamente a atenção em um ponto, tarefa ou atividade durante certo período. A ideia é construir um teste que exija o foco mais do que qualquer outra habilidade, como se lançássemos um feixe de luz sobre essa característica.

Não por acaso, o objetivo geral é entender o nível de atenção do avaliado, porque essa capacidade é fundamental para o sucesso em diversos contextos.

Trata-se de uma competência exigida tanto de quem realiza um cálculo em um escritório como de quem serra uma tábua em uma serralheira. Ou seja, não importa se o trabalho é manual ou intelectual.

No entanto, o teste de atenção concentrada também pode atender a objetivos específicos, como avaliar o foco em situações de estresse. Por exemplo, o teste de um policial ou segurança particular — que precisam agir em situações de perigo — não produzirá um resultado tão satisfatório se for produzido em uma sala com ar-condicionado e música relaxante.

De todo modo, no mercado de trabalho, a utilização estará quase sempre voltada para comparar os níveis de atenção de um profissional e os exigidos por um cargo.

Então, a partir disso, constroem-se escalas dos mais focados para os mais dispersos, sendo uma ferramenta válida também enquanto critério de seleção.

Como funciona?

O teste é construído para isolar a capacidade de atenção concentrada de outras aptidões pessoais. Isto é, a intenção é que o sucesso ou insucesso na avaliação não seja determinado por conhecimento, raciocínio lógico, memória etc. Só é avaliada a capacidade de manter o foco.

Nesse sentido, a metodologia mais utilizada se baseia no reconhecimento de símbolos, expostos de forma a serem facilmente compreendidos. O exemplo mais famoso é o do teste das setas, que apresenta os seguintes passos:

  • no topo de uma folha, são escolhidas três setas diferentes entre si;
  • o papel do avaliado é identificar e marcar essas setas em meio a outras de tipos variados, dentro do tempo preestabelecido pelo avaliador;
  • o resultado é determinado pelo número de acertos, erros e omissões, a partir dos quais se extrai um percentual ou índice.

Note que não é exigido nenhuma habilidade especial. Tudo o que o avaliado precisa fazer é manter o foco e comparar as setas do corpo da folha com aquelas anotadas na parte superior.

Como o teste de atenção concentrada pode ser usado pelo RH?

Não há apenas um único uso para o teste de atenção concentrada, pois a coleta de informações sobre a capacidade de foco dos colaboradores pode apresentar diversas finalidades. Veja uma lista de aplicações a seguir!

Filtrar candidatos a partir de critérios de ranqueamento

Com a aplicação do teste, é possível estabelecer um patamar mínimo para os resultados conseguidos. Assim, quem não atingir os índices previstos estará automaticamente eliminado do processo seletivo.

Dessa maneira, fica mais fácil encontrar os profissionais com maior capacidade de manter a atenção concentrada. Na verdade, a ideia do teste é auxiliar em decisões em que é preciso escolher uma pessoa entre muitas capacitadas.

Prevenir acidentes de trabalho

Outra aplicação do teste bastante importante é que é possível usá-lo para evitar que profissionais pouco atentos ocupem cargos em que a dispersão pode representar um risco à saúde ou à segurança.

Criar exigências para cargos

Esse tipo de avaliação também pode ser usado pelo RH para conhecer os resultados dos profissionais bem-sucedidos em uma função e, assim, entender a importância da atenção concentrada. Dessa forma, ao selecionar pessoas para cargos semelhantes, é possível entender o peso que se deve dar a esse atributo.

Em que situações o teste pode ser utilizado?

Quer seja em um recrutamento, quer seja na promoção de um colaborador, as situações em que precisamos indicar um profissional para um cargo são aquelas em que mais utilizamos o teste de atenção concentrada.

Normalmente, isso passa por entender o quanto deve ser exigido do profissional. Além disso, após a avaliação de vários candidatos, é comum que o resultado se torne um dos itens a serem pesados ao se tomar uma decisão sobre quem será escolhido.

Lembre-se, no entanto, de que a atenção não terá o mesmo peso para todas as funções. Em alguns casos, ter um patamar mínimo será suficiente, e qualquer coisa acima disso não representará uma grande vantagem. Já em outros casos, especialmente em profissões relacionadas a estresse e risco, ela tem um papel central.

Sendo assim, o mais importante é que os profissionais de RH dominem o teste de atenção concentrada e identifiquem, caso a caso, qual é a melhor maneira de aplicá-lo. Assim, o nível de exigência sempre estará em patamares razoáveis.

Gostou do conteúdo? Quer aprender mais sobre as práticas de recrutamento e seleção de pessoas? Assine nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)