22/11/2021

Tecnologia no RH: otimizando o processo de R&S

Atualmente, há uma enorme quantidade de tecnologia no RH que pode ser usada para potencializar a gestão do capital humano, desde softwares de recrutamento e de seleção (R&S) dotados de Inteligência Artificial (IA) até sistemas de entrevista em vídeo, com mecanismos de reconhecimento facial. Isso é reflexo da forte transição digital pela qual a gestão de pessoas está passando.

Nos dias de hoje, no RH, quase tudo pode ser facilitado ou até mesmo automatizado com a tecnologia. Logo, cabe aos gestores a responsabilidade de entender mais sobre o tema e promover melhorias autênticas no trabalho. Além disso, é válido ressaltar que essa automatização pode ser realizada em qualquer lugar nas mais variadas áreas, inclusive na hora de recrutar novos colaboradores para posições em aberto.

Para saber mais sobre o assunto, faça o nosso minicurso de automatização do R&S.

Pensando, então, na relevância da temática, nós elaboramos este post. A ideia é explicar o que se pode entender por recrutamento e seleção, quais são as principais tecnologias empregadas no RH, o que é o HR Tech e como aplicá-lo e muito mais. Continue a leitura e fique por dentro!

O que se pode entender por recrutamento e seleção?

O processo de recrutamento e seleção envolve a agregação de novas pessoas ao ambiente de trabalho. Quando há, por exemplo, um déficit no quadro de pessoal de uma empresa, é comum que se crie uma vaga de emprego.

A seleção busca suprir esse déficit e garantir a contratação de um profissional talentoso. Na prática, as etapas abarcadas pelo processo são bem diferentes.

O recrutamento é uma busca em que o mercado de trabalho é "vasculhado" para encontrar bons candidatos para o preenchimento da oportunidade. A seleção é a triagem desses candidatos, objetivando a tomada de decisões  para encontrar o profissional que tem maior aderência à organização.

Em resumo, o processo de agregação é um dos mais importantes — talvez, o mais relevante, de fato —  da gestão de pessoas. Ele permite que indivíduos inteligentes, motivados e íntegros façam parte da equipe. Por esse motivo, ele precisa ser otimizado com boas tecnologias.

Como ocorreu a evolução da tecnologia no RH?

Antes de falar efetivamente acerca das principais tecnologias empregadas no setor de Recursos Humanos, é interessante compreender um pouco sobre as novas tecnologias e como se deu o seu processo de evolução.

Nesse sentido, é essencial destacar que, como sabemos, a maneira de selecionar novos profissionais para integrar o quadro de colaboradores de uma companhia sofreu expressivas transformações com as inovações tecnológicas e, é claro, com as novas perspectivas que surgiram na área.

A verdade é que, no início, os processos de recrutamento e seleção contemplavam unicamente os elementos técnicos da posição em aberto. Com isso, naturalmente, a contratação apenas considerava se os candidatos à vaga detinham capacidade técnica e conhecimento suficiente para o desempenho das atribuições. No entanto, com o tempo, essa visão mudou.

Os aspectos intelectuais e emocionais passaram a ser mais valorizados, bem como as habilidades interpessoais e o alinhamento entre os valores do indivíduo e a cultura organizacional da empresa. Desse modo, de maneira natural, as tecnologias empregadas no setor de RH acompanharam essas mudanças e, consequentemente, trouxeram benefícios que tornaram as seletivas mais otimizadas.

Vale ressaltar, também, a importância do people analytics ( a análises de dados) dentro dos processos de recrutamento e seleção. Quando a empresa define e entende o perfil das pessoas que a integram acaba facilitando criar o perfil de pessoa ideal e atingir as expectativas da nova contratação, além de proporcionar a redução de custos com a retenção de talentos e maior aproveitamento do tempo.

Quais são as principais tecnologias no RH?

Hoje em dia, existem ferramentas tecnológicas que facilitam todo o processo de recrutamento e seleção. Elas automatizam, por exemplo, a requisição de pessoal e a triagem de currículos. A seguir, nós destacamos as principais. Veja!

Software de recrutamento e seleção

A primeira e principal tecnologia no RH é o software de recrutamento e seleção.

Ele funciona como uma espécie de "espinha dorsal" de todo o processo de contratação. O objetivo desse tipo de plataforma é facilitar a vida do recrutador e garantir a aquisição de gente verdadeiramente talentosa.

Em geral, há uma enorme quantidade de recursos disponíveis — como os campos para requisição de pessoal, a funcionalidade de comunicação com os candidatos e a análise dos indicadores-chave, como o turnover. De ponta a ponta, a ferramenta soma maior controle ao selecionador.

Além disso, ela permite cada vez mais centralizar e gerenciar os anúncios de vagas por sites e por mídias sociais, enviar feedbacks em massa para os candidatos e, inclusive, triar os currículos recebidos com base em competências predeterminadas. Por causa disso, há muitos benefícios ligados ao uso de bons softwares. A maior agilidade, o maior acerto e o maior controle do processo de contratação são alguns dos principais.

Tecnologias de entrevista em vídeo

Em uma entrevista presencial, há uma verdadeira infinidade de empecilhos que podem ocorrer. O profissional pode chegar atrasado e o selecionador pode precisar apagar um “incêndio” inesperado — e esses são apenas dois dos mais comuns. Por esse motivo, é necessário ter alternativas tecnológicas.

Nesses casos, a entrevista por vídeo é uma ótima opção. Então, há dois principais métodos que permitem esse encontro digital:

  • o online — quando o selecionador e o candidato se encontram no mesmo dia e no mesmo horário, permitindo que as dúvidas de ambos sejam tiradas em tempo real;
  • o gravado — quando o candidato recebe um questionário, grava suas respostas em vídeo e depois envia ao selecionador.

De uma forma ou de outra, há vantagens que só a tecnologia poderia oferecer. A flexibilização do tempo, o maior conforto ao profissional sob avaliação (que não precisa enfrentar o trânsito para chegar à empresa) e a possibilidade de salvar a entrevista e compartilhá-la com os demais gestores são alguns exemplos.

Ademais, as tecnologias de entrevista por vídeo comumente contam com algoritmos de análise facial. Logo, elas permitem avaliar as emoções predominantes nos candidatos ao longo dessa etapa.

Página de carreiras

Outra importante solução tecnológica é a página de carreiras. Ela funciona como uma espécie de vitrine da empresa para os profissionais do mercado de trabalho.

Na maioria das vezes, as companhias divulgam as suas vagas em aberto em páginas externas, como portais ou redes sociais. Isso não é errado e, pelo contrário, pode contribuir bastante. No entanto, a verdade é que esses não são os meios mais flexíveis e mais personalizáveis de acordo com o interesse da corporação.

Por sua vez, isso acaba por prejudicar a seleção. Uma página de carreiras, por outro lado, é da própria organização e pode ser totalmente customizada. É possível, então, compartilhar vagas de trabalho em aberto, mas também fotos, vídeos e mensagens.

Além disso, é viável falar do negócio, reforçar a marca e atrair mais gente talentosa. Para a construção da marca empregadora (ou conceito de employer branding), contar com uma página de carreiras é quase obrigatório. Por isso, essa também é uma grande tecnologia no RH.

Outros sistemas de automação

Algumas etapas do processo de recrutamento e seleção, como a análise de currículos ou a avaliação de proficiência em outro idioma, são repetitivas e custam muito tempo e energia ao recrutador. Por isso, é importante contar com tecnologias que automatizem essas e outras fases.

Nesse sentido, já existem diversos sistemas de automação. Por exemplo, há aqueles dedicados à avaliação do perfil comportamental do indivíduo e da proficiência em outro idioma, à triagem de currículos, à aplicação de testes de raciocínio lógico e de conhecimentos específicos etc.

Em geral, esses sistemas permitem que o selecionador tenha as respostas de que necessita sem precisar se envolver tanto com os meios — como a aplicação e a análise de testes comportamentais, que demandam muito tempo, conforme já mencionado. Assim, é possível manter o foco no que é estratégico e verdadeiramente essencial à aquisição.

Qual é a grande importância da adesão a essas ferramentas?

Em complementação ao tópico anterior, que já acaba por destacar diversas vantagens e inúmeras facilidades que cada um dos recursos mencionados pode trazer ao processo de recrutamento e seleção, em suma, é possível afirmar que a importância de efetivamente aderir a essas ferramentas reside na otimização. Afinal, quando os processos organizacionais são automatizados — e isso independe, na verdade, da área da empresa à qual pertencem —, há ganhos em produtividade e no potencial competitivo da companhia.

Nesse contexto, mais especificamente em se tratando de setor de Recursos Humanos, a relevância se torna ainda maior quando buscamos ter uma visão macro. Afinal, é inegável a essencialidade do processo de R&S quando levamos em consideração que uma organização, para alcançar os resultados projetados, precisa de profissionais verdadeiramente alinhadas a empresa e ao cargo.

Isso significa que os colaboradores admitidos devem ser não apenas ser eficientes em suas funções, mas também precisam apresentar as qualificações requeridas para o preenchimento da posição em aberto e estar verdadeiramente comprometidos com o trabalho a ser desempenhado. Pois, do contrário, esse cenário se tornaria — em pouco tempo — em um investimento mal planejado para ambos os lados.

No entanto, de que forma seria possível — se não na prática, observando o indivíduo em atividade no dia a dia — perceber se um determinado profissional está realmente apto a entregar o que é esperado pela corporação? Bem, com o uso da tecnologia no RH.

Ao empregarem soluções inovadoras (como aquelas que foram mencionadas no tópico anterior), os gestores passam a ter a chance de conduzir os processos seletivos com mais eficiência e, melhor ainda, com mais precisão. As ferramentas tecnológicas se tornaram, nos dias de hoje, verdadeiras aliadas dos responsáveis pelas seletivas no sentido de assegurarem uma seleção muito mais cuidadosa.

Dessa maneira, torna-se viável captar exatamente o perfil de profissional de que a organização precisa para uma vaga em aberto. Essa possibilidade, por sua vez, permite que sejam formados quadros de pessoal que "vestirão a camisa" da empresa, que realmente ajudarão a elevar os níveis de lucratividade e que, por conseguinte, auxiliarão na expansão do empreendimento como um todo. Isso, é claro, sem considerar as diversas outras vantagens atreladas à automação, como:

  • uma organização mais efetiva do processo de recrutamento e seleção;
  • uma agilidade maior em todas as etapas que compõem uma seletiva;
  • uma diminuição de retrabalhos e de erros, o que, por sua vez, gera ganhos em tempo — um recurso também valioso para qualquer negócio;
  • uma diminuição de custos atrelados à rotatividade de pessoal, gerando reflexos positivos no fluxo de caixa da corporação etc.

Como implementar o uso de tecnologias no RH?

Inicialmente, antes mesmo de cogitar o emprego de tecnologias para otimizar as atividades relacionadas ao setor de RH, é essencial buscar compreender quais são as verdadeiras particularidades e as demandas da sua empresa — e, é claro, do seu departamento de Recursos Humanos. Somente por meio desse estudo prévio, torna-se viável investir nas alternativas certas, ou seja, aquelas que efetivamente trarão vantagens para a gestão de pessoas e que tornarão o dia a dia mais prático.

Além disso, mais um elemento ao qual se deve ter total atenção é a necessidade de haver uma inserção gradual das inovações na companhia. Isso quer dizer que não basta despender recursos para selecionar as soluções que melhor atendem aos gargalos identificados. É imprescindível investir no treinamento dos integrantes do seu quadro de pessoal, considerar como se dará o gerenciamento das metas, da avaliação de desempenhos e dos dados e fazer um planejamento acerca da comunicação interna.

Dessa maneira, os sistemas e as plataformas escolhidas passarão a fazer parte do cotidiano dos profissionais, mas de modo bem pensado, bem estruturado e inteligente. Por meio dessas boas práticas, tanto a aceitação das tecnologias por parte dos empregados quanto a implementação da inovação na empresa ocorrerão de modo mais facilitado. Logo, automatizar e otimizar os processos relativos ao recrutamento e à seleção de candidatos, à admissão e ao desenvolvimento dos talentos será muito mais simples.

O que é e como aplicar o HR Tech?

O termo HR Tech vem do inglês e significa algo como “RH tecnológico” — ou “tecnologia de RH”. Na verdade, são muitos os significados para essa expressão.

As empresas que criam tecnologia com foco na gestão de Recursos Humanos, por exemplo, são chamadas de HR Tech. À luz do que já foi discutido, é interessante conceituar “HR Tech” como RH tecnológico. Isto é, um setor adaptado à nova transição digital e que conta com boas ferramentas para obter resultados acima do lugar-comum, tanto no processo de recrutamento e seleção quanto em outras atividades.

Para arquitetar um HR Tech, acima de tudo, é necessário não ter medo da mudança. Isso quer dizer que não adianta insistir nos processos obsoletos ou em preservar o estado atual das coisas. É preciso inovar e colocar o RH na vanguarda do mercado. Assim, você terá grandes resultados.

Então, entende o que é o emprego da tecnologia no RH e como ela pode otimizar todas as etapas da contratação e, por consequência, gerar resultados melhores em termos de produtividade e expansão? Para tanto, contudo, é necessário contar com um bom software de recrutamento e seleção, um sistema de entrevista em vídeo, uma página de carreiras e/ou outras ferramentas de automação. Assim, serão maiores as chances de encontrar os candidatos certos e engajá-los para que façam parte do quadro de trabalho.

Quer conhecer soluções inovadoras que o auxiliarão nesse sentido? Entre em contato conosco e descubra de que forma nós podemos ajudá-lo!

Vamos partir para a ação?

Faça agora mesmo uma demonstração da nossa ferramenta.

Fale comum Especialista