27/8/2018

Tipos de cultura organizacional: você sabe quais são?

Tipos de cultura organizacional: você sabe quais são?

Nos últimos tempos, o debate sobre os tipos de cultura organizacional tem recebido bastante atenção entre os empresários, gestores e acadêmicos de todo o mundo. Há um grande esforço no sentido de entender e elaborar uma cultura sólida e funcional.A cultura organizacional é um conjunto de crenças, valores, padrões de comportamento e formas de pensar que são compartilhados dentro de uma instituição e que mostram aos colaboradores e envolvidos o que é apropriado e inadequado no expediente. Assim, a cultura tem uma grande influência no comportamento dos profissionais e no próprio desempenho da firma.Neste post, reunimos uma série de informações sobre o assunto e apresentamos os principais tipos de cultura organizacional. Continue a leitura e aprenda mais sobre o tema!

Quais são as vantagens de ter uma cultura organizacional coerente e forte?

Os valores e a identidade organizacional projetados pelos líderes da companhia e o RH são fatores bastante relevantes para promover a coesão na corporação. A cultura mostra padrões de comportamento esperados e sinaliza o que é e o que não é bem-vindo dentro do contexto do negócio. Quando ela é forte e coerente promove muitos benefícios. Acompanhe a seguir quais são as principais vantagens dela!

Aumento de produtividade

A cultura organizacional promove senso de pertencimento, as pessoas se identificam com o ideal da empresa e com as lideranças. Isso, além de promover um senso de igualdade, gera um aumento de motivação e maior engajamento nas tarefas.Os profissionais realmente defendem os ideais e valores em vigor na organização. Assim, os colaboradores se esforçam mais nas tarefas, sendo mais produtivos, pois se identificam com as ideias da corporação.

Melhora do clima organizacional

Algumas firmas estimulam mais a individualidade e a competitividade. Já outras incentivam o apoio mútuo e a cooperação. Mesmo assim, em ambas, a cultura cria uma coerência, estabelecendo padrões do que é e do que não é aceito naquele grupo. Isso auxilia na uniformidade e na criação de recursos próprios daquelas crenças para lidar com conflitos.Assim, a tendência, nesse contexto, é de uma forma mais parecida de pensamento, além da presença de um referencial preciso para as ações. As divergências existem, mas há também recursos para elaborá-las e para estabelecer uma interação positiva entre os pares. Por isso, uma cultura organizacional consistente fortalece laços e facilita a convivência.

Employer Branding e atração de talentos

A reputação da empresa como lugar para se trabalhar, Employer Branding, é uma construção voltada tanto para o público externo quanto para os próprios colaboradores (por meio do Employee Value Proposition).A cultura corporativa fornece algum nível de unidade para isso, ela reforça aquilo que é valorizado e os padrões de ação dentro da firma. Sendo um elemento de coesão, ela auxilia na identificação do profissional com o que a companhia carrega de visão, valores e padrões. Assim, isso contribui com uma imagem de empregadora mais contundente, com funcionários que realmente defendem o negócio, verdadeiros embaixadores da marca.

Otimização do recrutamento e seleção

No processo de recrutamento e seleção, é necessário fazer o perfil da pessoa candidata ideal, um referencial que vai orientar todas as análises e decisões. A cultura corporativa fornece muitos parâmetros importantes no delineamento desse perfil pois, para admitir alguém, é preciso que ele tenha fit cultural com o negócio.Ela contribui também na definição do plano de comunicação, para a divulgação das vagas e contato com os candidatos. Acrescentamos também que os ideais e valores da firma ajudam no engajamento do candidato.

Quais são os tipos de cultura organizacional no modelo de Handy?

Charles Handy é um autor e filósofo irlandês que se especializou em comportamento e gestão organizacional. Ele criou um modelo de cultura corporativa baseado nas personalidades da mitologia grega.Os tipos citados por Handy são cultura de poder, representada por Zeus; cultura de papéis, indicada por Apolo; cultura de tarefas, representada por Atena e cultura de pessoas, com Dionísio como representante.A modalidade varia de acordo com o negócio. Uma distribuidora de bebidas ou uma firma de artigos de tecnologia pode ter um padrão mais competitivo, com metas desafiadoras e gestão de pessoas baseada na meritocracia. Já uma indústria de cosméticos para cabelos cacheados ou uma empresa da área da saúde podem trabalhar com ênfase no bem-estar e na coletividade.Nesse sentido, é possível classificar quatro principais tipos de cultura organizacional no modelo de Handy. A seguir, entenda cada uma delas.Antes de continuar, aproveite e baixe nosso guia para a criação de uma página de carreiras. E agora, veja mais!

Cultura de poder

Nesse caso, o poder gira em torno de uma única pessoa, geralmente o dono ou diretor executivo. Há uma forte centralização, sendo que os empregados e parceiros estratégicos ficam, até certo ponto, engessados para agir e dependem da figura central.Se, por um lado, a figura central, detentora do poder, faz o negócio andar e estabelece regras claras, por outro lado, mitiga a autonomia das equipes de trabalho.

Cultura de papéis

Ela tem como característica os papéis rigidamente estabelecidos. Cada profissional sabe qual a sua posição dentro da empresa, com pouca ou nenhuma mobilidade de função. É comum em instituições públicas, onde há uma forte hierarquia e prevalência do organograma. Há pessoas na base, no meio e no topo da pirâmide organizacional, e cada uma dessas funções são respeitados e seguidos rigorosamente.

Cultura de tarefas

O terceiro tipo é bem menos orientado para posições e muito mais para o que deve ser feito no expediente: as tarefas. Nos casos mais extremos, como o da Zappos, há um regime de holocracia, onde não há níveis hierárquicos e o trabalho é feito por meio de projetos. Nesse tipo de cultura, a criatividade e inovação tendem a ser mais presentes, porém, cada pessoa deve ser responsável e comprometida no que faz.

Cultura de pessoas

O último modelo ocorre quando as pessoas são colocadas em primeiro lugar. É comum ver esse tipo de cultura em empresas que valorizam a coletividade. Elas objetivam a construção de um ambiente de trabalho que gere bem-estar.Além disso, definem metas que impulsionam o espírito de equipe e mantém o foco nas pessoas, não nos processos. Esse modelo, em especial, é fortíssimo na retenção e atração de profissionais talentosos.

Quais são os tipos de cultura organizacional no modelo de valores concorrentes?

No modelo de valores concorrentes, os tipos são colocados entre 4 extremidades, abordando aspectos sobre a orientação para o externo ou o interno e aos polos de flexibilidade e liberdade e estabilidade e controle. Os principais aspectos avaliados para a delimitação do tipo de cultura organizacional neste modelo são flexibilidade, competição, relação com o lucro, colaboração, processos, hierarquia, inovação, liderança, risco e motivação. Veja mais sobre o tema adiante!

Cultura de mercado

A cultura de mercado é focada em um padrão de tomada de risco, competitividade e agressividade de mercado, com orientação para a busca de estabilidade financeira e lucratividade. A gestão é bastante hierárquica, firme e exigente, sempre preocupada com o alcance de metas e resultados.A liderança é formada por realizadores e competidores, com tomadas de decisões diretivas e objetivando “fazer mais com menos”. Os fatores motivacionais são as regras, os processos, o crescimento meritocrático e as metas preestabelecidas.

Cultura burocrática

A cultura burocrática prioriza a estabilidade, valorizando regras, padronizações, políticas e procedimentos muito bem definidos. A gestão tende a ser hierarquizada, com tomada de decisões centralizada em papéis e responsabilidades muito bem estabelecidas.Os líderes são fiéis à hierarquia, centralizadores, objetivos e racionais, dando preferência a métodos e soluções tradicionais. Os fatores motivacionais nesse tipo de empresa são a segurança, estabilidade, ordem, regras e processos claros, delimitados e padronizados.

Cultura empreendedora

A cultura empreendedora se caracteriza pela criatividade e experimentação, priorizando a busca por novas oportunidades, aprendizagem, dinamismo e flexibilidade. A gestão se destaca pela valorização da iniciativa individual dos colaboradores.Os líderes são muito idealistas, com a preocupação em prever o futuro e as tendências, além de terem uma propensão à iniciativa de buscar suporte e imagem externa. Os fatores motivacionais para a corporação empreendedora são a autonomia, diversificação, crescimento, tomadas de risco e dinamismo.

Cultura de clã

Na cultura de clã, há o incentivo à tradição e aos rituais, ao trabalho em equipe, à influência social e ao foco no sucesso do time à frente do sucesso individual. A gestão é colaborativa, com as tomadas de decisão valorizando os trabalhadores.A liderança possui uma postura de facilitação e suporte, com um gerenciamento mais participativo. As motivações nessa empresa são o ambiente agradável e baseado em cooperação, a sociabilidade, um bom Employee Experience e o trabalho em equipe.Como é possível ver, os modelos de cultura organizacional são vários. Não há modelo certo ou errado, mas sim, um padrão que é mais adequado a cada corporação. A cultura normalmente tem suas raízes na mentalidade dos fundadores, mas ela pode passar por mutações ao longo do tempo. Algumas firmas podem mudar, por exemplo, em momentos de crise, ou mesmo em estratégias de employer branding em que uma série de valores são revistos.Conhecer bem a cultura organizacional é essencial para a equipe de Recursos Humanos, especialmente porque ela é um parâmetro importante na escolha de candidatos. Afinal, é necessário buscar talentos com fit cultural com a marca. Destacamos também que, para que as pessoas com perfil sejam atraídas para a vaga, é estruturada toda uma estratégia de comunicação que tem seu alicerce na missão, visão e valores da firma.Para avaliar qual tipo de cultura organizacional prevalece em sua corporação é preciso considerar uma série de fatores como os a visão, práticas rotineiras, hábitos de decisão e a hierarquia interna. Desse modo, você terá maior clareza sobre o assunto, tomando as medidas necessárias para o cumprimento das metas e para o alinhamento das ações de RH com os valores priorizados na sua companhia.Gostou de aprender sobre os tipos de cultura organizacional? Se quiser saber como a Kenoby pode te ajudar a mapear a cultura da sua empresa e encontrar talentos aderentes à ela, agende uma avaliação gratuita!

Kenoby agora é Gupy

Agende uma demonstração com a melhor e mais inovadora plataforma de RH do Brasil

agendar uma demo (gratuito)